CACIQUE RAONI APRESENTA QUEIXA CONTRA BOLSONARO POR CRIME CONTRA A HUMANIDADE

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 150.000!


ENG - FR

Durante 40 anos, o Cacique Raoni Metuktiré, Chefe Tradicional do povo Kayapo-Mebengokré, encarnou a luta pela proteção e preservação da Amazônia e de sua floresta tropical, uma das maiores reservas de biodiversidade em nosso planeta. 

Seu cocar feito de penas de arara e seu labret - uma bandeja circular de madeira que estica seu lábio inferior - tornaram-se símbolos da voz que todos os Povos Indígenas pretendem agora fazer ressoar no concerto global das nações.

Em um momento em que o desmatamento se intensifica em vez de diminuir, quando os ataques à biodiversidade se acumulam em vez de diminuir, quando as ameaças e os casos de agressão contra líderes indígenas e líderes ficam impunes em vez de serem condenados, o Chefe de Estado brasileiro, Jair Bolsonaro, continua a demonstrar seu absoluto desprezo pelos direitos dos povos indígenas e seu desejo declarado de seguir uma política predatória de desmatamento, que tem tido consequências desastrosas para o clima.

Com quase 90 anos de idade, o Cacique Raoni não desiste. Ele continua a denunciar a injustiça feita ao seu povo e a advertir sobre os danos causados à floresta da qual é descendente dos habitantes originais. 

Hoje, ele tomou uma iniciativa sem precedentes, forte e singular e colocou a comunidade internacional frente a frente com suas responsabilidades, dando um mandato ao Sr. William Bourdon, advogado credenciado junto ao Tribunal Penal Internacional (ICC), para apresentar uma queixa em seu nome por Crime contra a Humanidade contra o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, contra membros de seu governo e contra qualquer pessoa que a investigação estabelecesse como co-autor de tal crime.

Com este gesto, Cacique Raoni não está apenas questionando a capacidade de nossas sociedades, nossos estados, nossos tribunais de justiça de dizer a lei. 

Muito mais profundamente, ele questiona a capacidade do mundo ocidental de "virar o espelho de volta" sobre o colonizador, reconhecendo os direitos imprescritíveis das Primeiras Nações e dos Povos Originais da Terra de continuar a manter sua relação imemorial com todos os outros seres e elementos dos seres vivos conhecidos como "natureza" nas línguas da cultura ocidental. As culturas indígenas pertencem a toda a humanidade. Eles sustentam verdades profundas sobre nossas sociedades, nossa relação com o mundo, com os outros, com nós mesmos. Tal conhecimento pode nos ajudar a saber como fazer escolhas informadas para o amanhã. 

Enquanto os quase 5.000 Povos Indígenas na Terra constituem apenas cerca de 5% da população mundial, no coração de seus territórios tradicionais e ancestrais, eles são os guardiões de 80% da biodiversidade mundial.

Esta queixa por um crime contra a humanidade é apresentada pelo Cacique Raoni Metuktiré juntamente com o Cacique Almir Surui du Peuple Paiter Surui, ambos co-signatários. 

Como nós, inúmeros líderes de Tribos, Povos Indígenas e Nações estão se preparando para apoiar a iniciativa do Chefe Raoni, mas também para expressar sua gratidão a ele por uma luta que não é apenas a dos Kayapos, nem dos Povos Indígenas sozinhos, mas a luta de todos, nas palavras do próprio Chefe Raoni: "Todos respiramos um só ar, todos bebemos uma só água, todos vivemos em uma só Terra".

A queixa apresentada por Cacique Raoni e seu povo à ICC é um desafio de um líder de vontade indomável. É um desafio à descolonização das mentes que finalmente nos permite ouvir a voz do outro, integrar seus critérios, adotar seu ponto de vista, entender que com outra maneira de estar no mundo vem outra maneira de fazer o mundo onde os crimes contra a humanidade e o ecocídio não têm mais lugar.

Porque estamos entre aqueles que se declaram prontos para aceitar este desafio.

Porque estamos empenhados em lutar contra a devastação da floresta amazônica e pela proteção dos conhecimentos ancestrais...

Porque não podemos aceitar que os direitos inalienáveis dos Povos Originais da Terra sobre seus territórios tradicionais continuem a ser comprometidos...

Nós, signatários desta tribuna, damos nosso total apoio à denúncia do Cacique Raoni Metuktiré por "Crime contra a Humanidade"!