Tolerância Zero a Abusos no Ambiente de Trabalho no Japão

0 have signed. Let’s get to 25,000!


Japonês / Inglês / Francês / Chinês / Espanhol / Alemão

Glen Wood era um executivo altamente bem sucedido na sucursal de Tóquio da Mitsubishi UFJ Morgan Stanley. Em poucos anos ele faturou dezenas de milhões de dólares em lucros para a empresa. Quando seu filho estava para nascer, ele pediu licença paternidade (um direito legal de todos os empregados no Japão), mas a companhia simplesmente rejeitou seu pedido. Pouco depois seu filho nasceu prematuro e com risco de vida. Mais uma vez, Glen pediu permissão para tirar a licença, e mais uma vez teve seu pedido recusado. Mesmo assim, ele optou por partir, às pressas, para ficar perto de seu filho.

Ao voltar ao trabalho, Glen começou a sofrer maus tratos diariamente, e foi afastado de suas responsabilidades, sua posição e seu salário. Seus superiores o insultavam na sua frente e pelas costas, com seus colegas de trabalho, e acabaram por demiti-lo sem indenização. Desde então, Glen vem lutando para conseguir seu emprego de volta. Ele também se transformou num campeão de altíssimo nível na luta pelos direitos humanos básicos, num ambiente corporativo onde esses direitos são constantemente ignorados.

Glen é uma voz de apoio aos direitos dos empregados, e denuncia a prática de abuso de pais e mães, abuso sexual, abuso de poder, e outros abusos que são usados como ferramentas comuns de gestão por empresas japonesas. Apoiamos uma política de tolerância zero a qualquer tipo de abuso no local de trabalho e pedimos respeitosamente à MUFG Morgan Stanley que adote tal política.