DESCONTINUIDADE DE MEDICAMENTO

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


Esta mensagem tem por objetivo apresentar minha imensa preocupação com a descontinuidade de fabricação e distribuição do medicamento Berotec Gotas para uso oral ou inalatório cujo princípio ativo é o Bromidrato de Fenoterol, fabricado e comercializado pela empresa Boehringer Ingelheim. 

Entendo que a paralisação da fabricação é uma decisão da empresa em relação a qual não tenho como contestar.  Entretanto, este medicamento, como é sabido, é de extrema importância para os pacientes com problemas respiratórios como DPOC, Asma, Enfisema e demais síndromes de insuficiência respiratória.

A gravidade do problema reside no fato de que os medicamentos utilizados para o mesmo fim que o Berotec, que utilizam exatamente o mesmo princípio ativo e denominados Medicamentos Genéricos e Similares foram igualmente e estranhamente descontinuados.  Este é o caso do medicamento genérico do Bromidrato de Fenoterol produzido pelo fabricante Prati-Donaduzzi e por outros fabricantes que deixaram de produzi-los, simultaneamente com a descontinuação do Berotec, deixando a população totalmente órfã de um medicamento essencial para sua sobrevivência. 

Em tal categoria se situa minha esposa que utiliza o medicamento para fazer inalação de forma constante e continuada e que corre grave risco de perda de vida, caso seja obrigada a interromper o tratamento.  Outros medicamentos já tentados como os a base de sulfato de salbutamol não surtiram qualquer efeito, além de desconforto intenso.

Neste sentido, entrei em contato em março de 2020 com a Anvisa que prontamente me atendeu, informando não possuir instrumento legal que impeça os laboratórios farmacêuticos de retirarem seus medicamentos do mercado.  No entanto, ao questionar e indagar os motivos pelos quais os medicamentos genéricos foram concomitantemente descontinuados, a entidade não mais se pronunciou, preferindo se silenciar.

Pelas razões acima expostas, peço e clamo por diversas autoridades, entidades, ONGs, órgãos de Defesa do Consumidor, veículos de comunicação e outras possíveis organizações que posam me ajudar a promover os esforços necessários para que os medicamentos genéricos de outros laboratórios com o referido princípio ativo voltem a ser produzidos no país.