促請澳門政府立法減少塑膠廢物污染/Macau Plastic Waste and Pollution/Plástico e Poluição em Macau

0 have signed. Let’s get to 7,500!


促請澳門政府立法以減少塑膠廢物和塑膠污染請願信

致: 運輸工務司司長羅立文先生及環境保護局局長譚偉文先生

       根據澳門環境保護局發佈的<<澳門環境狀況報告2017>>指出,本澳每人平均每天產生2.16公斤固體廢物,比去年增加2.9%。相較其他鄰近地區,如:新加坡1.49公斤(2017年人口為561萬),香港1.41公斤(2017年人口736萬),北京1.10公斤(2017年人口2171萬),廣州0.98公斤( 2017年人口為1450萬),上海為0.71公斤(2017年人口為2418萬),這意味著澳門是一處產生固體廢物數量最高的地區。

自2008年以來,本澳所產生的固體廢物數量一直有增無減。儘管與鄰近地區相比,本澳的總人口是最少(2017年為622,567人口)。但震驚的是,本澳實際上是一處製造最多的固體廢物的地區,尤其是本澳各間博企每天所產生大量固體廢物,特別是廚餘。根據2017年<<澳門環境狀況報告>>指出,塑膠和廚餘佔本澳固體廢物的兩大部分,於2017年所產生的固體廢物總量中,23%為塑膠廢物,27.4%為廚餘。

澳門政府雖然多年推行垃圾廢物管理、環保教育推廣及環保的商業模式。唯報告中所顯示的固體廢物數量並未反映目前城市廢物管理的理想進展和效應。因此,我們現在呼籲促請政府立即採取行動,以源頭減廢、減少不必要的廢物,促進零廢物城市和生活方式(例如:禁止使用一次性塑膠、禁止零售產品使用不必要的塑膠包裝等。)

本澳過度使用一次性的塑膠數量已達到令人擔憂的地步。本澳市民已厭倦看到超級市場和店鋪裡所售賣的物品和食品(如:水果和蔬菜)都用不必要塑膠包裹,產生很多不必要的塑膠廢物。

塑膠污染大大降低了我們的生活品質,製造比以往更多不必要的垃圾。這對全澳居民,以及全球環境生態來說,都是一個非常令人擔憂的問題。由於澳門所有不可回收的塑膠廢物都被送往焚化爐燃燒處理。美國環保署1994 (United States Environmental Protection Agency 1994) 指出,燃燒塑膠會釋放大量有毒化學物質並殘留於空氣中,導致癌症。此外,部分的塑膠廢物是不可回收亦不可降解,而且它們都含有有毒的化學物質,它們最終都會影響到我們的健康,並破壞環境、河流、海洋、海洋生物甚至於整個生態環境。

紀錄片《怒海控塑》A Plastic Ocean 2016關注塑膠污染導致殺死海洋動物,從海龜鼻慘塞血飲管、鳥類誤吃塑膠作為食物導致死亡,均嚴重影響在動物和人類的食物鏈,污染食物。 

過去我們都能在沒有塑膠袋的時代正常生活,塑膠袋是60年代後發明的物品。我們需要改變依賴塑膠袋的生活方式,減少使用一次性塑膠的習慣。目前已有幾個國家立法作出相關減塑政策(如:台灣和香港徵收膠袋稅)。

因此,我們敦促澳門政府立即採取行動,立法禁止塑膠袋、一次性塑膠和超市使用不必要的塑膠包裝水果和蔬菜,或至少對這些類型的塑膠徵收相關稅項,以減少人們使用塑膠的意慾,同時,促請澳門政府需要加強落實環境保護的措施和替代塑膠產品的方案。

我們衷心希望澳門政府對使用一次性塑膠(塑膠袋,塑膠吸管,塑膠容器,塑膠餐具及塑膠杯等)實施有力的管控法規和推出強制罰款,因為保護環境和人們的健康是我們首要的考慮。本澳企業、餐館、咖啡店、零售店和超市亦需要負起社會和環境保護的責任。

政府也應持續增加公民環保教育和零廢物意識,有助解決城市過度浪費資源和廢物回收之處理,從而改善生活質量,使澳門成為一處讓大眾可持續生活和發展的城市典範。

本澳政府亦需重申考慮對本澳環境保護系統的長期投資。應持續考慮有利市民健康的長效環保機制(如:減少使用焚化爐處理垃圾、回收廢物管理的成本),此機制能滅低因環境污染所產生有關的整體醫療支出和健康環境問題。回收和焚化爐焚燒不是最終的解決方案,減少廢物和零廢物才是正確的方法。

 

Macau Plastic Waste and Pollution Petition

To: Secretary for Transport and Public Works, Raimundo Arrais do Rosário and Director of Environmental Protection Bureau (DSPA), Raymond Tam Wai Man

According to the State of the Environment of Macau 2017 report published by DSPA, the average per person produced 2.16 kilos of solid waste per day in the city, with an increase of 2.9 per cent from last year, which is also being the highest compared to other nearby regions such as 1.49 kilos in Singapore (population of 5.61 million in 2017), 1.41 kilos in Hong Kong (population of 7.36 million in 2017), 1.10 kilos in Beijing (population of 21.71 million in 2017), 0.98 kilos in Guangzhou (population of 14.5 million in 2017), and 0.71 kilos in Shanghai (population of 24.18 million in 2017). And the amount of solid waste in the city has been increasing since 2008. Despite the fact that Macau has the smallest amount of population (622,567 in 2017) compared to its neighboring regions, we are so shocked to know that we are actually creating more solid waste than the other regions, especially with the gaming operators being the main producers of solid waste (food waste) in the city.  According to the report, plastic and food waste represented the two largest components of solid waste in the city, with 23 per cent of the total waste produced in 2017 being plastic and 27.4 per cent being food waste.

Given years of programs facilitated by the Macau government to regulate business model on waste management and public education on how to live environmentally, the amount of solid waste shown in the report doesn’t reflect an actual progress in the waste control and management in the city. So we are now calling to urge our government to take immediate actions to reduce waste and promote zero waste such as banning single use plastic and unnecessary plastic packaging at local supermarkets.

There is a worrying overuse of plastic in the city of Macau, with plastic bags and single use plastic being shown around free and plentiful, and concerned residents are sick of seeing every type of item nowadays being wrapped in plastic, from fruits, vegetables and many other produces without the need for it.

The city is creating more waste than ever before and this is becoming a very worrying issue for all the residents in Macau as the plastic pollution is dramatically decreasing our quality of life. 

The overuse of plastic is bringing the city a lot of unnecessary plastic waste each day, with most of it being non-recyclable and not biodegradable, and since they contain toxic chemicals, they end up impacting our health, the environment, the rivers, the oceans, sea life, and the whole eco system. 

As a documentary “A Plastic Ocean” 2016  shows we are killing marine animals from fish to sea turtles, with other wild animals, such as birds ending up eating plastic for their food, dying from eating plastic and then impacting humans who eat the animals at the end of the food chain, and get contaminated from the food too.

Also, since all the un-recyclable plastic waste in Macau is sent to an incinerator to burn, research shows that burning plastic releases toxic chemical in the air causing cancer (United States Environmental Protection Agency 1994). 

People in the past could live their daily life without single plastic use, with plastic bags not being invented before 1960s. We need to change our lifestyle, and one way we can do it is by removing single use plastic, a measure already implemented in several countries worldwide, and some of our neighbors such as Taiwan and Hong Kong.

We urge the government to take immediate actions and ban plastic bags, single use plastic and unnecessary plastic packaging in the supermarkets for fruits and vegetables, or at least implement a tax or charge on these types of plastic that could deter people from using them and resort to more eco-friendly measures and alternatives.

The government also needs to enforce strong regulations and mandatory fines on the use of disposable plastic (plastic bags, plastic straws, plastic containers, plastic cutlery, plastic cups, etc.) because our environment and health should always be our first priority. It is important for corporations, restaurants, cafés, retails and supermarkets to take social responsibility seriously. Recycling and incineration is not the ultimate solution; reducing waste is the right way to go. 

Banning unnecessary disposable plastic packaging and finding better alternatives such as paper or other biodegradable material, as well as increasing public education and awareness of zero waste can eventually help to solve the excessive waste of our city and create a platform for further measures that can improve the quality of life in Macau and turn the city into an example in the region for sustainable living.  

The government needs to consider the long term investment for the environment protection system in the city. It could benefit the health of local residents and reduce the costs of waste management from incineration and recycling, which in turn could reduce the overall medical spending and environmental issues related with plastic and air pollution.  

 

Petição sobre o Desperdício de Plástico e Poluição em Macau

Destinatários: Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo Arrais do Rosário e Director dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA), Raymond Tam Wai Man.

De acordo com o relatório do Estado do Ambiente de Macau 2017 publicado pela DSPA, por média cada residente de Macau produziu 2,16 quilos de resíduos sólidos por dia na cidade, com um aumento de 2,9% em relação ao ano passado, um valor mais elevado do que em outras regiões vizinhas, como os 1,49 kg em Singapura (população de 5,61 milhões em 2017), 1,41 kg em Hong Kong (população de 7,36 milhões em 2017), 1,10 kg em Pequim (população de 21,71 milhões em 2017), 0,98 kg em Guangzhou ( 14,5 milhões em 2017) e 0,71 quilos em Xangai (população de 24,18 milhões em 2017). A quantidade de resíduos sólidos produzidos na cidade tem vindo a aumentar desde 2008 e  apesar do fato de Macau uma população (622.567 em 2017) menor em comparação com as regiões vizinhas, ficamos chocados ao saber que estamos a criar mais sólidos resíduos do que as outras regiões, com as concessionarias do jogo ‘a cabeça no que toca a volume de resíduos produzidos, principalmente resíduos alimentares. De acordo com o relatório, resíduos de plástico e alimentos representqm os dois maiores componentes de resíduos sólidos da cidade, com 23% do total de resíduos produzidos em 2017 plástico e 27,4% resíduos alimentares.

Dados os anos de programas facilitados pelo governo de Macau para regulamentar o modelo de negócios sobre gestão de resíduos e educação pública sobre como viver ambientalmente, a quantidade de resíduos sólidos mostrada no relatório não reflete um progresso real no controle e gestão de resíduos na cidade. Por isso, agora estamos ligando para instar nosso governo a tomar medidas imediatas para reduzir o desperdício e promover o desperdício zero, como a proibição do uso de plástico descartável e embalagens plásticas desnecessárias nos supermercados locais.

É preocupante ver o uso excessivo de plásticos em Macau. Os sacos de plástico e utensílios de plástico descartáveis estão disponíveis gratuitamente e em demasia. E os residentes sensíveis a esta questão estão cansados de ver todo o tipo de produtos embalados em plástico – produtos como frutos ou legumes, e muitos outros – sem que haja verdadeiramente necessidade disso.

A cidade está a produzir mais lixo do que nunca. Uma questão que deve preocupar, e muito, todos os que cá vivem, uma vez que a poluição causada pelo plástico diminui drasticamente a nossa qualidade de vida.

O utilização excessiva de plástico está a resultar num desperdício diário de plástico, a maioria não reciclável nem biodegradável, e que contém químicos tóxicos que acabam por afectar a nossa saúde, o ambiente, os rios, os oceanos, a vida marinha e o eco sistema num todo.

Como revela o documentário Oceano de Plástico II, 2017 estamos não só a matar a vida marinha – desde peixes a tartarugas. Outros animais, por exemplo os pássaros, acabam por ingerir plástico, através daquilo que comem. Morrem devido ao plástico que ingerem. E, por sua vez, isso afecta os humanos, que acabam por comer esses animais do fim da cadeia alimentar, ficando também contaminados.

Mais. O plástico não reciclável, em Macau, é enviado para uma incineradora e os estudos comprovam que os químicos tóxicos libertados para o ar pela incineração de plástico são cancerígenos. (Agência de Protecção Ambiental dos Estados Unidos 1994)

No passado, as pessoas viviam o dia-a-dia sem plástico descartável. Recorde-se: os sacos de plástico não foram inventados antes dos anos 60. Temos de mudar o nosso estilo de vida. E a única forma de o fazermos é acabar com o uso do plástico descartável. Uma medida já implementada por vários governos em todo o mundo, incluindo por alguns aqui próximos, como em Taiwan e no Hong Kong.

Apelamos ao governo para agir de imediato, para proibir os sacos de plástico, o plástico descartável e as embalagens desnecessárias de produtos nos supermercados, incluindo dos frutos e legumes. Ou que, pelo menos, seja implementada uma taxa ou que esse tipo de plásticos passe a ser cobrado, como forma de dissuadir as pessoas de os usarem, levando-as a procurar alternativas mais amigas do ambiente.

O governo também deve impor regras rigorosas e multas para o uso de plástico descartável (sacos de plástico, palhinhas de plástico, caixas de plástico, talheres de plástico, copos de plástico, etc.). Porque o nosso ambiente e a nossa saúde devem ser sempre a nossa primeira prioridade. É importante que as empresas, os restaurantes, os cafés, as lojas e os supermercados assumam a responsabilidade social que têm. Reciclagem e incineração não são a solução. O caminho tem de ser feito no sentido de uma redução do desperdício.

Proibir as embalagens de plástico desnecessárias e encontrar melhores alternativas, como o papel ou outros materiais biodegradáveis, assim como reforçar a sensibilização do público para o não-desperdício são medidas que podem contribuir para resolver o problema do excesso de desperdício na nossa cidade e servir de plataforma para outras medidas que contribuam para melhorar a qualidade de vida em Macau. Isto para que Macau se possa transformar num exemplo de sustentabilidade na região.

O governo tem de ter uma perspectiva de longo prazo em relação ao investimento na protecção ambiental em Macau. Esse investimento contribui para a saúde de quem vive na cidade e reduz os custos com a gestão do lixo, desde a incineração à reciclagem. O que, por sua vez, reduz a despesa com a saúde e com os problemas ambientais, relacionados com o plástico e a poluição do ar.

 

 



Today: 澳門零廢物 Ban Single Use Plastic is counting on you

澳門零廢物 Ban Single Use Plastic Macau needs your help with “運輸工務司司長羅立文先生及環境保護局局長譚偉文先生: 促請澳門政府立法以減少塑膠廢物和塑膠污染/ Macau Plastic Waste and Pollution/ Plástico e Poluição em Macau”. Join 澳門零廢物 Ban Single Use Plastic and 6,190 supporters today.