Racismo da Uber na favela: motorista se recusou a levar passageiro negro!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Meu nome é Ioannis Casarini, tenho 18 anos, sou negro e moro da favela do Jd Jaqueline, na Zona Oeste de SP. Na última sexta, dia 26/06/20, fui vítima de racismo na Uber.

Sempre peço para realizarem corridas na Uber por mim, pois o app não aceita meu CPF. Então pedi para uma amiga pedir um Uber para mim. Às 20h20 chegou uma motorista na porta da minha casa num Nissan March cinza, Kelly, com 2020 viagens, parecia ser uma profissional. 

Mas ela chegou SUPER IRRITADA, me encarando, olhando de cima a baixo, dizendo que o Uber era para Mari – que é a minha amiga que pediu a corrida para mim. Ao lado da minha mãe, que aguardava comigo, eu expliquei para a motorista que a minha amiga pediu o carro para mim, mostrei os prints da conversa com a minha amiga Mari no Whatsapp (em que eu peço para ela pedir o Uber para mim) e o dinheiro com o qual eu pagaria a corrida. 

A motorista não quis saber de nada, se recusou a me levar. Ela ignorou todos os fatos e explicações, alegando que eu podia ser um bandido, que “não estava tatuado na minha testa se eu era bandido ou não”. Eu estava na porta de casa com a minha mãe, que também é negra, e se sentiu ridicularizada pela situação, assim como eu. A minha mãe disse para ela: “Pode levar ele, não é bandido, não”. Foi aí que a motorista se revoltou, fechou o vidro na minha cara, acelerou o carro e saiu gritando para eu chamar outro.

Não sei se foi a localização da favela, porque ela que aceitou a corrida. Não sei se foi o meu cabelo volumoso, mas ela me olhou com uma cara horrível, me senti um lixo. É muito triste tudo isso, eu fiquei muito mal, com ansiedade atacada, sem dormir.

Eu criei um post no meu Instagram fazendo a denúncia de racismo e depois de muitos comentários marcando a Uber, a empresa respondeu que desativou a conta da motorista. Não acredito que isso seja o suficiente pelo o que aconteceu. Por isso, peço que a Uber faça um treinamento antirracista para orientar os/as motoristas da empresa para que pessoas negras não passem pela situação horrível que eu passei com essa motorista.