SOMOS CONTRA O RETORNO DAS AULAS NAS ESCOLAS DE BELÉM DURANTE A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Os números de infectados pelo novo coronavírus em Belém, no estado do Pará e no país persistem com crescente número de mortes pela Covid 19. Estamos em uma crise sanitária sem precedente, com impactos profundos na vida das pessoas.

A escola é um dos principais locais de concentração e fluxo de pessoas, de todas as faixas etárias, e de enorme probabilidade de propagação do novo coronavírus.

O anúncio do retorno às aulas nas escolas da rede municipal de ensino de Belém, ainda durante a pandemia é um risco sem precedentes à saúde e à vida.

Em Belém, trabalhamos com 70 mil alunos/as, crianças desde o berçário até o ensino fundamental; com jovens no médio e também com jovens e idosos/as na EJA. As crianças se abraçam, choram, correm, e terão que passar por um processo de adaptação nunca visto antes. O uso de máscaras, o não abraço, o não toque, são situações impensáveis para todos nós no interior das escolas.

As escolas, muitas insalubres, dificultam a proteção individual e a saúde porque trabalhamos em salas de aulas com 40 alunos, como garantir a proteção sanitária? Em salas quentes, pequenas, sem iluminação adequada e devida higienização?

PROPOSTA DO SINTEPP BELÉM

Defendemos o retorno presencial das aulas apenas quando a pandemia tiver passado, com a diminuição significativamente do número de infectados e redução a zero do número de óbitos diários em nossa cidade e estado;

A organização para o retorno presencial das aulas deverá ser dialogada e construída entre Semec, Sintepp e comunidade escolar no sentido de discutir o calendário escolar, flexibilizando o tempo com o uso do calendário de 2020/2021 pensando em estratégias permitidas desse tempo de organização do ensino ciclado.

ALGUMAS CONDIÇÕES SÃO IMEDIATAS PARA PENSAR EM RETORNO:

- A reestruturação das escolas, UEIs, UPs, com organização dos espaços e mobílias;

- A higienização de todas as unidades escolares;

- Testagem de professores, servidores, alunos e responsáveis;

- Garantia de materiais de higienização permanente com pias e sabão na entrada das unidades, sapatos descartáveis; álcool em gel nos corredores e espaços pedagógicos, papel toalha, lixeiras com acionamento por pedal, tapetes higiênicos nas salas e medição de temperatura, etc.

- Equipamentos de proteção individual permanente para professores, servidores e alunos;

- Diminuição de alunos por turma garantindo as recomendações para a saúde pela OMS;

- Retorno gradual mensal iniciando com 20% do quantitativo de crianças em escalas;

- Garantia nas escolas e UEIs de lotação de assistente social e psicólogo, para companhar o trabalho com professores, funcionários, alunos e responsáveis;

O Sintepp Belém e a comunidade escolar querem discutir com a Semec o calendário escolar, pois o retorno às escolas deverá ser de responsabilidade de todos/as e qualquer decisão unilateral para um retorno apressado e desordenado poderá comprometer a tranquilidade que precisamos no retorno às aulas ao final dessa pandemia.