Pela aprovação da lei SOS Cultura Carioca

Pela aprovação da lei SOS Cultura Carioca

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


CARTA AOS VEREADORES DA CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

Trabalhadores culturais, entidades profissionais, figuras públicas e movimentos da cultura assinam carta aos Vereadores da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, solicitando a urgente aprovação do Projeto de Lei nº 1821/2020 que prevê medidas essenciais para a sobrevivência do setor cultural carioca durante a pandemia da Covid-19 como auxílio emergencial para trabalhadores de todas as linguagens da cultura, garantia de pagamento dos fomentos já aprovados, manutenção dos contratos mantidos pela prefeitura para equipamentos culturais e a criação de novos editais de cultura.

Aprovamos a Lei Aldir Blanc! Agora é hora de garantir a aplicação correta dessa verba no Rio de Janeiro e aprovar medidas específicas que a cultura carioca precisa.

__________________________________

Excelentíssimo Sr. Presidente Jorge Felipe,

Excelentíssimos Srs. Vereadores,

Nós técnicos, produtores, contrarregras, músicos, poetas, artistas visuais, circenses, artesãos, dançarinos, atores, cantores, cineastas, figurinistas, diretores, dubladores, preparadores corporais, editores, bilheteiros, camareiros, iluminadores, maquiadores, profissionais do carnaval, seguranças, cenógrafos, fotógrafos, trabalhadores da cultura em geral, assinamos esta carta no esforço de sensibilizar a Câmara Municipal do Rio de Janeiro para a necessidade urgente de aprovação do Projeto de Lei nº 1821/2020 que prevê medidas de socorro ao setor da cultura. Somos milhares de trabalhadores que precisam de uma política pública municipal que garanta nossa sobrevivência neste momento.

A cultura sempre cumpriu papel fundamental no desenvolvimento de nossa sociedade. Seja pela sua criatividade e irreverência que entretém, ou por sua potência enquanto ferramenta de produção de novos conhecimentos, é inegável a importância das artes em nossas vidas. Durante a pandemia, a cultura desempenhou um papel ainda mais essencial para a sociedade. 

Neste momento de isolamento social no qual boa parte da população se viu obrigada a permanecer em casa, sem interação social, a cultura se mostra fundamental. O que seria de nós sem a possibilidade de assistirmos filmes, novelas, animações e séries? Sem a possibilidade de ler livros, apreciar obras plásticas ou escutar boas músicas, ao nos vermos isolados em casa?

Enquanto a cultura traz algum conforto nesse momento de tantas incertezas, nós, trabalhadores da cultura, estamos desamparados, sem qualquer possibilidade de exercer nossa profissão. Trabalhamos na informalidade, de forma autônoma sem nenhuma garantia de renda. Nosso ofício exige a presença humana, a interação, promovendo muitas vezes aglomerações. Fomos os primeiros a parar e seremos os últimos a voltar. Somos um número incontável de trabalhadores da cultura desempregados e bastante precarizados diante das dificuldades de mantermos as condições básicas de vida. Precisamos que o poder público aprove medidas emergenciais que permitam nossa sobrevivência e nos dê condições de retornar. 

A cultura é responsável por cerca de 5% dos postos de trabalho no Brasil. No Rio de Janeiro, existem em torno de 21 mil Microempreendedores Culturais (MEIs), que atuam e sobrevivem exclusivamente do trabalho no setor cultural. O impacto econômico da paralisação do setor será longo e difícil, principalmente no Rio de Janeiro. Nossa diversidade cultural pede socorro e precisamos que o Poder Legislativo cumpra seu papel de escuta e atenda a esse pedido. 

Considerando a relevância sob o aspecto social e econômico, pedimos a aprovação do PL nº 1821/2020 que prevê medidas urgentes e essenciais para a cultura, como a necessidade de auxílio emergencial durante esse período e a formulação de novos editais adaptados à realidade da pandemia. 

O PL nº 1821/2020 reafirma ainda nosso direito de receber fomentos para projetos culturais que já foram aprovados, além de garantir a manutenção dos contratos de equipamentos culturais celebrados com a prefeitura, evitando que mais trabalhadores fiquem sem renda ou emprego.

Por se tratar de uma proposta que atende a todo setor da cultura carioca, enviamos esta carta na confiança que os Srs. Vereadores possam aprovar o PL nº 1821/2020 e, assim, socorrer os milhares de trabalhadores que precisam de ajuda neste momento.

A economia carioca e nossas famílias agradecem. 

Certos de sua compreensão e responsabilidade, assinam:

1COMUM Coletivo

A Garagem Delas

Agência de Notícias das Favelas 

Ana Brites Aloha Consultoria & Eventos

Angel Vianna Escola e Faculdade de Dança

Apreta RJ

APTR - Associação dos Produtores de Teatro

Aquela Cia de Teatro

AR Produções

Areas Coletivo

Armazém companhia de Teatro

As Marias da Graça

Associação Carioca de Blocos e Bandas Folia Carioca

Ateliê Alexandre Mello

Bando de Palhaços

Boetger Produções 

Brecha

CALIBAN Cinema e Conteúdo

Camaleão Produções Culturais

Cantos do Rio Produções Artísticas Ltda

Carranca Coletivo

Casa Sapucaia

CEAK - Centro de Estudos Ana Kfouri

Cia Cerne

Cia de Aruanda

Cia dos atores

Cia Dragão Voador

Cia H.C, OSC Brasil

Cia Kawin

Cia. de Dança Chris Aguiar

Cia. Inconsciente em Cena

Cia. Livre Acesso - teatro e dança

Cia. OMONDÉ

Circo no Ato

Colegiado Estadual de Dança do Rio de Janeiro e Representação Metrô I

Coletivo Casa Corpo

Coletivo Casa Sol Solano

Coletivo Cosmogônico

Coletivo Egrégora

Coletivo Groove Party 

Coletivo Líquida Ação

Coletivo Muanes

Coletivo NegraAção

Coletivo Vento Sutil 

Coletivo Ver e Não Ver

Coletivona

Companhia de mysterios

Companhia Ensaio Aberto

Companhia Hibrida

Companhia Volante

Complexo Duplo

Conselho Municipal de Políticas Culturais - dança

Cooperativa Democrática de Artes Corporais do RJ

CORETO - Coletivo de Blocos Organizados do Rio de Janeiro

Coro.na Quarentena

Despina

Dois Companhia de Dança

En La Barca Jornadas Teatrais

Espaço Apis

Esther Weitzman Companhia de Dança

Etnohaus

Fábrica Nômade Sonora

Favela Cineclube

Favela Mundo 

Festival Anjos do Picadeiro

Festival Carioca de Contação de Histórias

Foguetes maravilha

Fórum de Performance negra do Rio de Janeiro

Frente Biz

Frente de Cultura RJ

Frente Teatro RJ

Gestopatas

Grupo Código

Grupo Mnemoni

Grupo Moitará

Grupo Roda Gigante

Grupo SATS

Grupo Tá na Rua

Jongo da Serrinha

KarmaCírculus Teatro

L U M U S

Lanchonete<>Lanchonete

Las Panamericanas

Leão Etíope do Méier

Liga Amigos do Zé Pereira

Liga Sambare

LIGA SEBASTIANA

Lúmini Cia. de Dança

MAR VIVE

MATER - Movimento de Artistas de Teatro do Rio

Mercatto Cultura

Miúda

Movimento Artes Sem Barreiras

Movimento das mulheres sambistas

Multifoco Companhia de Teatro

Ngoma Capoeira Angola

Nova Bossa Produções Culturais Ltda

O Passeio é Público

Ocupa Carnaval

Ocupação OVÁRIAS 

Os Dezequilibrados

Pandêmica Coletivo Temporário de Criação

Peneira

Pequeno Engenho das Artes

Pulsar Cia de Dança

Rap Resistência Viva

Reage, Artista!

Rede de Articulação, Fomento, Formação em Acessibilidade Cultural

Revista Questão de Crítica

Roda Cultural Pac’stão

Sindicato dos Músicos do Rio de Janeiro

Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado do Rio de Janeiro

Slam das Minas RJ

Solano, Vento Forte Africano

Teatro Caminho

Teatro Comercial 

Teatro de Anônimo

Teatro de Extremos

Teatro do Nada

Teatro do Pequeno Gesto

Teatro Independente

Teatro Inominável

Teatro Pela Democracia

Teatro Voador Não Identificado

Terreiro Contemporâneo

Trinity

Uivo Coletivo

Vem pra luta amada

Vento Forte Africano 

Zabeo CultSalve Produção