Revitalização do Sítio Arqueológico POÇO ESCRITO, TabiraPE - Petição ao Ministério Público

Revitalização do Sítio Arqueológico POÇO ESCRITO, TabiraPE - Petição ao Ministério Público

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


O Poço Escrito é um Sítio Arqueológico que integra os corpos hídricos da bacia do Rio Pajeú pertencente ao municio de Tabira-PE e carrega esse nome por apresentar gravuras pré-históricas com imenso valor histórico e sociocultural.
Durante anos, representou ao seu povo um símbolo de riqueza natural.
O mesmo tem reconhecimento nacional pelo IPHAN e estadual pela FUNDARPE, mas atualmente uma só palavra resume a situação do local: abandono.
Partindo do lado político da cidade que não tem a menor intenção de preservar o bem comum, podendo, se fosse feita a preservação, usá-lo como ponto turístico tornando-se fonte de renda para muitos habitantes locais, o que permitiria também maior conhecimento sobre a história local e regional.
O patrimônio vem ano a ano sobrevivendo sem tampouco saber até quando. A situação está tão crítica que, atualmente, não há mais resquícios de vida aquática em seu córrego d'água. Devido às irregularidades ambientais provocadas por falta de planejamento urbano e sanitário e do uso comunitário inadequado e irregular no local.
Diante deste cenário, na tentativa de frear tais desastres e promover a recuperação e preservação do Poço Escrito, um grupo de jovens tomou a iniciativa de cobrar ao Poder Público medidas de reparo, proteção e conservação do sítio arqueológico, utilizando redes sociais como o instagram (@sospocoescrito_), grupo de whatsapp https://chat.whatsapp.com/HTxXrCGcob8B6cpiYdEuTZ e e-mail (sospocoescrito@gmail.com).
Além disso, o grupo está elaborando esta petição que notifica o descaso ao Ministério Público buscando a efetivação de medidas protetivas para o local.
Além de toda riqueza histórica, o Poço Escrito é também palco da nossa cultura:
“Tabira do Poço Escrito,
Ponto histórico-cultural.
Um lugar maravilhoso,
Encantado, especial,
Onde o Rio Espírito Santo
Lança o frescor do seu manto
Na Magia do Local
Lá, há inscrições gravadas
Pelas gerações passadas,
Que nem o tempo desfaz.
Não há tradução ainda,
Mas mostra a grandeza infinda
Dos meus, dos seus ancestrais.
Quem sabe, um índio poeta,
Apaixonado e aflito,
Não deixou pra namorada
Esse “bilhete” esquisito,
Gravado em baixo relevo,
Desvirginando o granito,
Para, na Idade Moderna,
Servir de Lembrança eterna
Nas Pedras do Poço Escrito"
(Dedé Monteiro, poeta tabirense reconhecido como Patrimônio Vivo de Pernambuco)

Contamos com a sua contribuição e parceria na assinatura da petição que busca a tutela jurisdicional para proteção desse bem de valor imensurável, frágil e não renovável.

Atenciosamente,
SOS Poço Escrito.