GRITA BRASIL: O ENCONTRO DAS ÁGUAS NO AMAZONAS PEDE SOCORRO

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


No ano em que celebramos 10 anos do Tombamento do Encontro das Águas e seu entorno como patrimônio cultural e natural brasileiro, enfrentamos também a ameaça de extinção de sua biodiversidade movida por interesse imediato de determinados grupos privados.

O Encontro das Águas, fenômeno que forma o rio Amazonas, foi tombado no dia 11 de novembro de 2010, resultante das manifestações dos movimentos socioambientais e comunitários.

A luta pelo reconhecimento deste bem como patrimônio cultural, paisagístico, histórico, econômico e geológico, fez-se necessária para barrar a construção de um Terminal Flutuante, o Porto das Lajes, cujo impacto afetará diretamente o Encontro das Águas, com atracação de meganavios carregados de contêineres, perturbando a vida deste corpo d’água na sua grandeza.

A empresa Juma Participações, Lajes Logística S/A e Log-In Logística Intermodal, apoiadas por esferas governamentais, tentam, há dez anos, construir um megaterminal portuário neste bem natural da humanidade, cuja dimensão e importância para o mundo nem sequer foram ainda mensuradas e muito menos estudadas. Trata-se de uma iniciativa de redução do Estado e suas políticas públicas aos interesses das corporações empresariais afins acelerando mais ainda a desigualdade.

Somos contrários à construção de um Terminal Flutuante no Encontro das Águas:

- pelo impacto estético-paisagístico que ocorrerá na região;

- pelo desmatamento de floresta de várzea de rio Internacional, margens de lagos, igarapés e nascentes;

- pelo derramamento de óleo e dejetos sólidos e líquidos das embarcações;

- pelo revolvimento de sedimentos do leito do rio e taludes;

- pelo impacto que afetará a rica vida aquática do local e populações de botos e peixe-boi, espécies ameaçadas de extinção;

- pelo impacto nas áreas de reprodução, pouso e descanso de espécies de aves locais e migratórias; de peixes como o Jaraqui e outros organismos aquáticos;

- pela destruição de sítios arqueológicos de altíssima relevância, com data estimada de 3 a 5 mil anos.

Somos pela preservação e cuidado do entorno, pela paisagem, cultura e turismo, uma vez que o Encontro das Águas é o cartão-postal turístico do Estado impresso  nas águas do nosso Amazonas.

Movimento S.O.S. Encontro das Águas

Fórum das Águas

Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental (Sares)

Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan)

Projeto Jaraqui

Núcleo de Cultura Política do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJPAM)

Ong Mata Viva

Cáritas Arquidiocesana

S.O.S. Fragmentos e Sauim de Coleira de Manaus

Mucuras Verdes

Articulação pela Convivência com a Amazônia (ARCA)

Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Dom Luciano Almeida (OLMA)

Centro Social e Educacional Lago do Aleixo (CESELA)

Clube de Mães Ruth Moura

Movimento Ecotrabalhismo (PDT-AM)

Manaus-AM, 30 de Janeiro de 2020

FOTO: Valter Calheiros
(Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões)