Destruição Ambiental em Cavalcante na Chapada dos Veadeiros. Salve o Cerrado.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 75.000!


A comunidade de Cavalcante e da Chapada dos Veadeiros, representada por suas entidades, vem manifestar a sua inconformidade e repúdio com a implementação de empreendimentos agrícolas em larga escala, em áreas de sensibilidade ambiental e notório interesse social. 


Tratam-se de terras dentro do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga que estão sendo devastados sem nenhum tipo de estudo, consentimento e discussão com as áreas ambientais e principalmente com as comunidades locais. 


Essas áreas se encontram em relevos de altitude, com remanescentes de vegetação nativa, nas nascentes de rios que abastecem comunidades e todo o povo Kalunga, da Chapada Dos Veadeiros e consequentemente do Brasil. São contudo áreas prioritárias para a conservação ambiental! 


Não estamos abertos a fazer concessões! Atravessamos no momento, a maior crise sanitária do Brasil, estamos à beira da maior recessão econômica de nossa história e assistindo o saque de nossas riquezas. Aqui, não deixaremos a “Boiada passar” sem antes lutar pelos nossos direitos e sobretudo pelo que consideramos justo, correto e legítimo. 


Não aceitaremos empresas sem nenhuma relação local, dilacerando o patrimônio natural e nos deixando apenas o ônus dessa empreitada. A agricultura em larga escala tem um forte impacto ambiental, e baixa capacidade de geração de emprego e renda por conta de seus processos altamente mecanizados. Os recursos advindos dessa atividade tampouco são relevantes para o tamanho do estrago social, ecológico e econômico. 


Se alguém ainda tem dúvida, afirmamos: a principal atividade econômica da Chapada dos Veadeiros é o ecoturismo e a agricultura familiar, mesmo que os governantes ainda insistam em não admitir, essa é nossa verdadeira vocação! 


Nossa região ostenta títulos e reconhecimentos importantes nacionais e internacionais. Essas áreas que estão sendo invadidas, devastadas e surrupiadas na calada da noite fazem parte da Reserva da Biosfera do Cerrado (UNESCO), no Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, vizinhas à APA do Pouso Alto e ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros que é Patrimônio Natural da Humanidade (UNESCO). 

Há  indícios que já foram desmatados ilegalmente quase 1 mil hectares desde dezembro do ano passado, sendo que mais de 500 hectares foram degradados nos últimos 15 dias em duas fazendas do local, em local próximo atrtivos turisticos da região.

Diante destes fatos, esperamos que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável(SEMAD), o Governo Estadual de Goiás e demais autoridades competentes determinem a imediata interrupção das atividades de desmatamento, preparação do solo e plantio na área degradada, determinando a instauração de inquérito para apuração de eventual crime ambiental, além de autuação administrativa, com aplicação da correspondente multa, por desrespeito a normas ambientais.

Esperamos também que os poderes constituídos do Município (Prefeitura, Câmara Municipal e Ministério Público) estabeleçam normas mais efetivas de controles destas atividades, com legislação e fiscalização rigorosa contra a destruição ambiental que vem sorrateiramente avançando em nossa região.

Por fim, convocamos TODA A COMUNIDADE de CAVALCANTE, DA CHAPADA DOS VEADEIROS, DO BRASIL e DO MUNDO, para que se una neste momento, na defesa de seu patrimônio Ambiental e Cultural.



Conselho Municipal de Turismo - COMTUR
Cavalcante