Mudança no sistema de avaliação das Provas Parciais (P2) da Fei

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


O Prof. Dr. Gustavo Donato, Reitor do Centro Universitário FEI, por meio de um informe por vídeo (Informe Reitoria - Edição 3), indexado e não listado no YouTube, no canal Centro Universitário FEI, informou sobre o método de avaliação das segundas provas parciais para o 1º semestre letivo de 2020.

Pelo notório fato de que estamos enfrentando uma pandemia tivemos uma migração de ensino do ambiente presencial ao ambiente virtual. Novas diretrizes sobre a avaliação do aluno tiveram de ser mudadas. Para esta mudança, vários estudantes por meio de seus representantes de classe enviaram ao reitor e aos coordenadores de curso situações, soluções, problemas e impeditivos que deveriam ser consideradas para a definição do método de avaliação, entre eles: 

  • Conexão instável ou ausência de internet fixa, o que traria impeditivos para uma avaliação com hora marcada, cronometrada e sequencial via Moodle;
  • Muita gente está realizando o Home-Office, devido à pandemia, o que acaba acarretando situações de trabalho em horários diversos, que pode coincidir com o horário da prova cronometrada;
  • Ambiente em casa muito propício à distrações, devido à barulhos e interrupções, ao contrário do que ocorria de forma presencial;
  • Solução com a possibilidade de realizar uma prova "offline" fazendo o upload no Moodle, assim como foi realizada a P1 em várias matérias de vários cursos;
  • entre outros pontos apresentados oficialmente aos coordenadores e reitores.

Porém, nenhum dos apontamentos realizados pelos estudantes foram levados em consideração pelo "grupo de trabalho" para a proposta final anunciada pelo reitor Prof. Dr. Gustavo Donato, cuja definição segue:

  • Datas e horários fixos e síncronas para realização das provas via Moodle;
  • Bancos de questões, cujo cada aluno terá sua prova randomizada de forma que o grau de avaliação seja o mesmo para todos os estudantes;
  • Resolução das questões se dará de forma sequencial, ou seja, o estudante não poderá voltar às questões anteriores depois de submeter a resposta;
  • Turmas menores ou situações particulares terão outras formas de avaliação, como avaliações orais ou outros métodos definidos pelo professor.

Com isto, temos várias problemáticas já apontadas por diversos estudantes:

  1. Modelo sequencial de resposta às questões:
    Atrapalha o rendimento do estudante, pois não há direito à revisão e hão há liberdade de escolha sobre qual questão iniciar nem sobre a administração do tempo pelo estudante. Esta metodologia retira a toda a confiança e expectativa do estudante, acentuando problemas de saúde mental, como a ansiedade, tão crescentes em época de pandemia de Covid-19.
    Uma das justificativas é que "apenas assim as respostas ficam salvas", o que não é verdade. Vários estudantes já realizaram atividades no Moodle, cuja resposta durante a atividade fica salva e se pode revisar o que já foi respondido.
  2. Conexão com a internet
    Um dos pontos do anúncio foi que os alunos devem ter disponível internet móvel (3G, 4G e 5G) como backup para "evitar problemas de conexão" e caso ocorram problemas, a falta de conexão resulta em P3.
    Talvez precisemos reforçar que a Fei conta com muitos estudantes bolsistas de baixa renda que, muitas vezes, nem tem internet fixa ou celular. Muito menos ter as duas coisas simultaneamente com a possiblidade de ter um "backup" estrutural que deveria ser de responsabilidade da Fei pelo método de avaliação decidido, não dos estudantes.

A Fei possui uma rica história baseada em educação de alta qualidade e humanística. Pelo momento que vivemos a Fei deve dar o exemplo de compreensão de todos os problemas enfrentados pelos estudantes em nossa formação acadêmica. Por isso REIVINDICAMOS um método de avaliação que considere todos os pontos aqui levantados e os tantos outros enviados pelos estudantes e representantes de sala ao reitor, vice-reitores e coordernadores de curso.

Estudantes da Fei.