Abaixo-assinado encerrado

O governo de Cuba ameaçou minha vida. Assine para que eu possa viver em paz!

Este abaixo-assinado conseguiu 14.659 apoiadores!


Meu nome é Maria Illeana Iglesias, tenho 53 anos e sou cubana. Sou historiadora, mestre em antropologia e fui professora da Universidade de Havana. As forças do regime de Fidel Castro me ameaçaram de morte pelas minhas posições políticas, e por isso vim ao Brasil, para salvar minha vida.

A polícia política de Cuba foi clara: eles me deixariam em uma cadeira de rodas se eu continuasse no país. Fui perseguida, recebi ameaças de morte, meu ex-marido foi demitido, minha casa foi invadida e meus objetos pessoais foram furtados. Para sobreviver, tive que sair de Cuba.

Deixei minha mãe para trás com o coração apertado, e cheguei a São Paulo em 2013. Faz 4 anos que estou lutando para recomeçar a vida, mas o governo brasileiro não reconheceu minha condição de refugiada até hoje. Isso me impede de trabalhar, de ter um lar e de ter paz.

Peço sua ajuda assinando e divulgando este abaixo-assinado, para que o governo brasileiro, através do Conselho Nacional de Refugiados (CONARE) entregue meus documentos de refugiada. Se isso não acontecer, eu nunca mais vou poder rever minha mãe, nem minha família, nem viver em paz no Brasil.

Dar apoio a esta petição não é uma questão de ser a favor ou contra o regime político de Cuba, ser de esquerda ou de direita. Essa é uma questão humanitária, e se você se importa com os seres humanos, você pode ajudar facilmente - basta assinar.

Peço que a ONU (Organização das Nações Unidas) faça um apelo ao governo brasileiro, para que minha condição de refugiada seja reconhecida. Minha mãe é uma idosa, e ficou abalada em toda a perseguição que eu sofri.

Ela ainda está em Cuba, e eu tenho medo pela vida dela. Se minha condição de refugiada for reconhecida, terei muito mais condições de ajudá-la. Com os papéis de refugiada, poderei trabalhar e usar o dinheiro para pagar tratamentos de saúde que ela precise, por exemplo.

Peço ao presidente Michel Temer, ao ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, e demais autoridades que reconheçam minha condição de refugiada. Só quero recuperar minha dignidade, avançar com meu trabalho e meus estudos, e ajudar a construir uma sociedade mais justa.



Hoje: Maria Iglesias, com o projeto Vidas Refugiadas está contando com você!

Maria Iglesias, com o projeto Vidas Refugiadas precisa do seu apoio na petição «Assine para que eu possa viver em paz no Brasil!». Junte-se agora a Maria Iglesias, com o projeto Vidas Refugiadas e mais 14.658 apoiadores.