A Horta das Flores corre perigo! Pela permanência da horta na Praça Alfredo DiCunto!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


A Horta das Flores precisa de seu apoio para permanecer no espaço da Praça Alfredo Di Cunto na Mooca, um oásis verde com mais de 200 árvores e onde se realiza um trabalho socioambiental único para toda a comunidade e hoje se encontra ameaçado. Foi aprovada a construção de moradia no terreno, negligenciando o trabalho feito há mais de 15 anos na horta comunitária. Queremos que o espaço continue como está, uma área verde comunitária e aberta à população. Mostre que você faz parte deste luta e assine o nosso abaixo assinado, leia também abaixo o histórico de luta e das ações já realizadas neste espaço, os nossos motivos e engaje-se também!

 

A Horta das Flores foi implantada pela Prefeitura com o surgimento do PROAURP (Prog. de Agricultura Urbana e Periurbana da cidade de São Paulo - Lei 13.727/04 e Decreto 51.801/2010), em meados de 2004. Durante anos a horta compôs o PROAURP, envolvendo famílias em vulnerabilidade social na produção de alimentos e geração de renda por meio da comercialização de hortaliças. 


Depois disso, o local foi estruturado como a Praça Alfredo DiCunto e teve uma estufa implantada em 2008, com o Programa Escola Estufa Lucy Montoro, onde foram desenvolvidos cursos gratuitos de horticultura orgânica para a população. Com o fim do programa, a praça foi mantida de forma precarizada por um zelador de praça, até que, em 2015, um grupo de moradores começou a atuar na praça para iniciar uma ocupação comunitária. Foi aí que surgiu o coletivo Horta das Flores que se mantém até hoje realizando mutirões mensais, oficinas e eventos gratuitos e atividades sobre meio ambiente, segurança alimentar e nutricional, agroecologia e educação ambiental, tornando-se uma referência de horta comunitária no município de São Paulo. 

Conheça a Horta das Flores (clique no texto para ir aos vídeos): Tour pela Horta das FloresDo asfalto nasce uma horta

Soubemos, recentemente, que a área foi incluída numa Parceria Público-Privada em 2017 (Concorrência Internacional COHAB no.01/2018) para construção de moradias populares pela COHAB, por meio do processo 2017.0185.313-9. A área está indicada dentro do Lote 5 como área 3MN1, dentro da Zona de Centralidade conforme o Plano Diretor de São Paulo.


A empresa responsável pelo Lote 5 foi o CONSÓRCIO TELAR-ENGEFORM. O contrato foi assinado em Junho de 2019 (contrato do lote 5 é  CONTRATO Nº PPP 02/19) e atualmente se encontra na Etapa Preliminar, prorrogada até Junho de 2020.


A Praça Alfredo DiCunto é uma área verde com atividades voltadas à segurança alimentar e nutricional e à educação ambiental. O coletivo Horta das Flores, que desenvolve atividades na praça desde 2015, não participou de nenhuma consulta sobre o referido processo e tampouco foi informado sobre a concessão da área, tomando conhecimento apenas no final de 2019. 


Hoje, a Praça Alfredo DiCunto tem cultivo agroecológico, pomar, composteira, Jardim do Cerrado, Jardim de Bromélias, viveiro de mudas nativas, ervanário e orquidário cuidado por cidadãos. Os trabalhos de cultivo e manutenção são feitos por voluntários em mutirões sempre no primeiro domingo de cada mês e em ações de manutenção semanal, promovendo atividades comunitárias na praça aberta à população e estimulando os moradores do entorno a usufruírem do espaço. Além da horta, no viveiro já são produzidas cerca de 1.500 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica, destinadas à plantios voluntários que estão sendo realizados pela cidade, sendo que cerca de 200 árvores estão plantadas e catalogadas na praça com tecnologia de QR Code. 


Dessa forma, acreditamos que a Praça Alfredo DiCunto possui uma finalidade socioambiental importante para o bairro da Mooca, conhecido como um dos bairros de São Paulo com menor índice de cobertura verde por habitante, e para todo o município. Além de serviços ambientais prestados por ser uma área verde de cerca de 6.000m2, a praça se destaca pelas atividades socioambientais que são promovidas voluntariamente pela própria população, tornando-se um importante equipamento público que se mantém em atividade graças à parceria entre Poder Público (por meio das suas políticas públicas como PROAURP e Prog. Escola Estufa) e a população paulistana. 


A Horta das Flores e todas as estruturadas da Praça Alfredo DiCunto devem permanecer no espaço e receber apoio para ampliar ainda mais as atividades realizadas. Acreditamos que a Prefeitura Municipal dispõe de outros terrenos ociosos e inutilizados que poderiam cumprir os objetivos de moradia popular sem obstruir as funções socioambientais dos territórios que estão ativos e promovendo educação ambiental para a população da cidade. 


Assim, nós abaixo assinados, defendemos a permanência da Horta das Flores e todas as estruturadas da Praça Alfredo DiCunto no terreno, sem diminuição de sua área, sem alteração na forma como é gerida e com a valorização das atividades desenvolvidas. Por mais áreas verdes na Mooca e na cidade de São Paulo!  Sua assinatura vale muito, faça parte do movimento #salveahortadasflores compartilhando este abaixo-assinado com a hashtag. Venha conhecer a Horta das Flores e fazer parte do coletivo. Contribua, visite a horta, participe das atividades! Para saber mais acesse as páginas do Instagram e Facebook @hortadasflores.