Inclusão em Brasil de Médicos Estrangeiros sem CRM em Mais Médicos e uma REVALIDA justa.

0 personas firmaron. ¡Ayuda a conseguir 1,500!


Ideia Legislativa por uma inclusão em Brasil de Médicos Estrangeiros sem CRM em o Programa Mais Médicos e por uma REVALIDA justa.

Para saber o que queremos os médicos estrangeiros sem CRM, vocês devem primeiro conhecer os resultados obtidos e implementados na população brasileira durante esses 5 anos do programa Mais Médicos, do qual nos baseamos para que nos considerem em uma nova etapa deste ou de outro programa.

Resultados

-No primeiro ano do Mais Médicos a cobertura de atenção básica de saúde aumentou de 10,8% para 24,6%. Em relação à toda a Estratégia de Saúde da Família (incluindo Mais Médicos), a cobertura populacional cresceu de 62,7% para 70,4% no mesmo período. Além disso, uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) – com aproximadamente 14 mil entrevistas – apresentou avaliações positivas da população sobre o desempenho dos profissionais brasileiros e estrangeiros que integram a iniciativa. Do total de entrevistados, 81% possuem baixa renda e 95% afirmaram estar satisfeitos com o programa. De 0 a 10, deram nota 8,4. Entre os indígenas, a média foi de 8,7.

-Em dois anos (janeiro de 2013 – janeiro de 2015), o número de consultas médicas na Estratégia de Saúde da Família aumentou 33% nos municípios que participaram do Programa Mais Médicos. Já naqueles que não estavam no programa, o aumento foi de menos da metade: 15%. Fonte: Rede Observatório do Programa Mais Médicos.

-Antes da implementação do programa Mais Médicos, as taxas de internação por condições sensíveis à atenção primária já́ vinham diminuindo no Brasil (em 7,9% de 2009 a 2012). No entanto, essa redução foi mais importante após o programa (9,1% entre 2012 e 2015). A diminuição foi maior nas regiões Norte (21%) e Centro-Oeste (19%) e nos municípios que possuem entre 100 e 200 mil habitantes (18,2%) e entre 30 a 100 mil habitantes (15,8%). Fonte: estudo “O Programa Mais Médicos e internações evitáveis pela Atenção Primária”.

-O estudo “More doctors for deprived populations in Brazil” mostrou que em mais de mil municípios que aderiram ao Mais Médicos houve um aumento na cobertura de atenção básica de 77,9% para 86,3%, entre 2012 e 2015, e uma queda nas internações por condições sensíveis à atenção ambulatorial (que são internações evitáveis), de 44,9% para 41,2% no mesmo período. Essa pesquisa foi feita por autores de várias instituições brasileiras e publicado em um boletim da Organização Mundial da Saúde.

-Após o primeiro ano de implantação do programa Mais Médicos, constatou-se o provimento de 294 médicos para cobrir todas os 34 DSEIs (100%). Segundo dados da Secretaria de Saúde Indígena do Ministério da Saúde do Brasil (SESAI), 339 médicos foram incorporados aos DSEIs ao longo de dois anos do programa, significando um crescimento de 79% em relação ao quantitativo desses profissionais em agosto de 2013. Fonte: estudo “Programa Mais Médicos: desvelando os desafios futuros para a implantação de um sistema de saúde equânime e integral para os povos indígenas”.

-Em 2015, mais de 70% dos municípios brasileiros tinham aderido ao Programa Mais Médicos. Essa situação foi verificada em 53,7% das equipes da Estratégia de Saúde da Família no Brasil e possibilitou, além da cobertura de mais de 20 milhões de pessoas no sistema, “a regularidade dos vínculos trabalhistas e a garantia do cumprimento da carga horária de trabalho, o que incidiu sobremaneira na transformação do processo de trabalho e na melhoria do cuidado na atenção primária no SUS”. Fonte: estudo “Programa Mais Médicos e criação de vínculos com a comunidade e fortalecimento da equipe de saúde”.

Então, quem são esses médicos cubanos que querem trabalhar e morar no Brasil?

Quando quiserem saber quem somos, basta pedir o nome do profissional, perguntar quantos anos de treinamento você tem e saber mais sobre seus atendimentos e resultados no município de atuação no tempo de prestação no Programa Mais Médicos. Não crie um preconceito para nós sem primeiro saber ou perguntar e então constatará que este profissional, antes de ser um excelente e capacitado médico, é também uma pessoa.

Só com o reconhecimento de nossas limitações e baseados no respeito é que teremos condições de, através de muita perseverança, chegarmos bem perto da busca do ideal que é a saúde com boa qualidade de vida de nossos pacientes. Hoje em dia, promoção, prevenir, curar ou atenuar as doenças são as bases da atuação do verdadeiro médico.

 

O que nós precisamos:

1- Reconhecimento, Apoio e Assessoria incondicional do Governo e Ministério da Saúde para todos os médicos cubanos que decidiram dar um importante passo em suas vidas e permanecer no Brasil. Art. 5, Capitulo 1 inc. XXXIII da Constituição Federal de 88

2-- Acesso à Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) sem limitações e a um trabalho aceitável na nossa área de atuação. Portaria SPPE 85/2018 e no Decreto No 9.199/2017

3--Acesso e aprovação para trabalhar inicialmente como médico no Programa Mais Médicos; e ter tempo para arrecadar dinheiro e fazer a Revalida durante o programa, não deixando a população brasileira sem atendimento médico.

4-- Acesso a um exame de Revalida equitativa, periódica (duas vezes por ano Pratico-Teórico) e justa com base na área de desempenho e de acordo com os tópicos mais comuns. Exame de habilitação do nosso grau de Medicina e Especialista em Medicina Familiar, para aqueles que estudam no exterior (seja brasileiro ou estrangeiro treinado no exterior) e com taxas de pagamento mais acessíveis, menos dispendiosas e sem muita burocracia na documentação, já que alguns países como Cuba não permitem documentos. Com a possibilidade de um Teste Prático que pode ser feito em nossa área de atuação ou em outro local designado para o mesmo. Tudo conforme prometido pelo futuro Presidente Jair Bolsonaro e pelo Ministro da Saúde do Brasil; e também com o total apoio e supervisão do Conselho Federal de Medicina.

Com todos os itens acima, nós médicos sem CRM no início, nos comprometemos a dar o melhor de nós para e para a melhoria na saúde e qualidade de vida dos brasileiros. Através de um atendimento médico especializado e humanista para o povo brasileiro. Colocando todo o nosso esforço, sacrifício e conhecimento médico especializado de reconhecida qualidade mundial em atenção à comunidade e família, importante célula da sociedade. Tudo isso para melhorar a qualidade do povo brasileiro e elevar o padrão de vida, sem distensões de áreas, grupos étnicos e momentos. Beneficiando nossa presencia e atenção médica, como país democrático, ao governo federal, os estados, as prefeituras e todos os brasileiros em geral.

“Ser médico é colocar em prática o amor ao próximo” (...)A medicina, volto a frisar, jamais pode perder seu lado humanístico, curvando-se a interesses econômicos. Somos profissionais cuja obrigação é prestar assistência competente e qualificada, sem se importar com classe, cor, opção sexual ou credo. (...)Escolhemos lidar com pessoas e, por isso mesmo, temos de manter à flor da pele nosso lado humano. (...) O bem-estar de nossos pacientes devem ser a razão de cada um de nossos atos... Dr. Antonio Carlos Lopes Presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica

 “Porque ser médico significa estar pronto a qualquer instante, manhã, tarde e noite.” #MeuVotoConta , #TeuVotoCuenta , todos os votos contam #MaisMedicos #MaisSaude #SomosUm.