AMBULATÓRIO DESTINADO A SAÚDE DE ADOLESCENTES TRANS DA FHEMIG CORRE RISCO DE SER REVOGADO

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 7.500!


O Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII), da Rede FHEMIG, agora conta com um ambulatório destinado a adolescentes pertencentes a grupos de pessoas excluídas socialmente. O atendimento, inicialmente destinado a adolescentes transgêneros, acontece às quartas-feiras, das 13h30 às 18h, no Ambulatório de Saúde do Adolescente da unidade, e conta com uma equipe multiprofissional. Contudo, na última semana, os profissionais do ambulatório foram notificados por um dos usuários que a página http://fhemig.mg.gov.br/sala-de-imprensa/noticias-sala-imprensa/1904-hijpii-abre-ambulatorio-destinado-ao-atendimento-de-adolescentes-trans não se encontrava mais acessível, o que representa um risco para os avanços na promoção de saúde igualitária para essa população. Estamos sofrendo ataques de forma velada pela parcela conservadora que compõem o campo da área da saúde, correndo o risco de não ser mais ofertadas consultas a partir do ano de 2021 para essa população que durante séculos foi marginalizada e teve seus direitos negados.

De acordo com o Boletim 2/2020 da ANTRA o Brasil apresenta, pela segunda vez consecutiva, um aumento no número de assassinatos de pessoas trans em relação ao ano de 2019. O que mostra claramente que os fenômenos sociais impactam diretamente nas vidas das pessoas trans. A necessidade de Políticas Públicas são indispensáveis para a redução de homicídios de pessoas trans, para a promoção da saúde e seus direitos.

O direito ao acesso a saúde é um direito universal, e por isso precisamos lutar para que esse retrocesso não aconteça! Assine o abaixo assinado para nos ajudar a vencer essa visão preconceituosa e conservadora, auxiliando com que essa debate chegue a conhecimento de outras esferas. Dessa forma vamos conseguir para além de manter esse ambulatório, disseminar essa ideia, e assim mais propostas nesse formato possam ser desenvolvidas.