SÃO JOSÉ SEGURANÇA JÁ

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


SEGURANÇA JÁ!

    Não é de hoje que os bairros  Kobrasol, Campinas e Roçado  vivem surtos de insegurança, não apenas no período noturno, mas ao longo de todo o dia. Usuários de drogas, na maioria moradores de rua, praticam furtos no comércio e assaltos a pedestres seja durante a noite como durante o dia. O problema vem se agravando dia após dia, inclusive com diversos relatos sobre a chegada de novos moradores de rua enviados por ônibus de outras cidades.

    A comunidade e os comerciantes desses bairros não aguentam mais. Por isso estamos nos reunindo nos últimos dias para levantar todas nossas reivindicações junto à Prefeitura Municipal de São José. Precisamos de atitudes emergenciais para e de longo prazo, que possam surtir efeito imediato e manter a normalidade no longo prazo.

AÇÕES IMEDIATAS:

1.       FORÇA TAREFA DE REPRESSÃO: Convocar uma Força-Tarefa de repressão aos usuários de drogas na região, com apoio operacional da Policial Militar, Guarda Municipal, Secretaria de Assistência Social de São José e Florianópolis, Secretaria de Saúde de São José e Florianópolis. Essa força-tarefa deve ser por um período mais intenso no início, com continuidade pelo menos semanal da operação, para que não seja algo meramente paliativo.

2.       INTENSA FISCALIZAÇÃO NOS FERRO-VELHOS: É sabido que há empresas de ferro-velho na região que costumam receber objetos frutos de furto na região, tais como fios de cobre, máquinas de ar-condicionado, equipamentos roubados, entre outros. Diversas vezes estes estabelecimentos foram flagrados com movimentação interna no período noturno, entretanto nem a Polícia Militar nem as prefeituras da região costumam autuar tais estabelecimentos fora de horário. É preciso constante fiscalização nestes locais.

3.       RECOLHIMENTOS DOS CARRINHOS DE COMPRAS: Diversos usuários de drogas costumam roubar carrinhos de compras dos supermercados da região para que carreguem produtos de reciclagem, entretanto essa situação mascara a verdadeira intenção que é esconder e carregar produtos fruto de furtos.

AÇÕES DE CURTO-PRAZO:

1.       MUDANÇA DE LOCAL DO CENTRO POP: O Centro Pop é uma estrutura de Assistência Social da Prefeitura de São José que fornece alimentação e banho aos moradores de rua de São José. Atualmente no bairro Roçado, próximo aos túneis com o bairro Kobrasol, a estrutura deveria prestar atendimento em outro local, um pouco mais distante de residências e comércio e em local mais adequado para o atendimento. É possível também analisar-se a pertinência da continuidade do serviço, visto que muitos se acomodam com o serviço e preferem não deixar a situação de rua e drogas.

2.       LIMPEZA DA ENTRADA DO BAIRRO CAMPINAS E PRAÇAS DA REGIÃO: A entrada do bairro Campinas, seja na saída da via-expressa ou pela Av. Josué di Bernardi está sempre em condições de higiene e limpeza deploráveis, situação causada por tais moradores de rua. Condição que provoca sensação de insegurança e diminui a atratividade deste importante bairro. Algumas praças da região também encontram-se em estado crítico, visto que muitos as utilizam como moradia e banheiro, como a Praça ao lado do colégio Visão no Kobrasol.

3.       CAMPANHA PARA NÃO DAR ESMOLA: Como existem vagas ociosas nos serviços de recuperação e internação para usuários de drogas, é importante a conscientização da população para não dar esmolas, visto que esta atitude contribui para a manutenção do estado de rua/drogas destas pessoas.

4.       INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA: Desde agosto de 2019 já está em vigor a lei que permite a internação compulsória de usuários de drogas sem necessidade de autorização judicial quando os profissionais da saúde entendem que o cidadão não possui condições de discernir sobre a própria vida. É o caso de muitos moradores em situação de rua que consomem droga todos os dias e permanecem em situação de mendicância apenas a procura de esmolas para manter o vício. É possível que a Prefeitura Municipal de São José inicie o processo de internação compulsória daqueles que não possuem mais condições de livre escolha.

5.       MELHORAR A COMUNICAÇÃO SOBRE OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: As pessoas hoje não sabem que existem vagas ociosas em centros de recuperação de usuários de drogas, bem como a existência do próprio Centro Pop que poderia auxiliar estas populações de rua. É fundamental que a Prefeitura Municipal de São José comunique de forma mais clara e intensa a existência destes serviços.

6.       GRUPO NO TELEGRAM DE VIZINHOS E FORÇAS POLICIAIS: Sugerimos a criação de um Grupo aberto no Telegram com a administração da Polícia Militar, da Guarda Municipal e de lideranças comunitárias e empresariais da região, com o intuito de que a própria comunidade seja fiscal de tudo que acontece nas ruas do bairro. Assim seria possível uma comunicação muito mais rápida de possíveis crimes que aconteçam nos bairros. O grupo seria aberto para moradores e comerciantes e contaria com a participação de todos Policiais e Guardas que atuam na região. A opção pelo Telegram ao invés de Whatsapp se dá pelo limite de participantes no grupo, enquanto que no Telegram é possível a participação de até 5.000 usuários no grupo, no Whatsapp limita-se a apenas 256 usuários.

AÇÕES DE MÉDIO E LONGO PRAZO:

1.       AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DE CÂMERAS: A Central de Videomonitoramento de São José faz um excelente trabalho, entretanto é fundamental que o número de câmera seja ampliado para trazer mais segurança a todas as ruas da região.

2.       CONEXÃO DAS CAMERAS PRIVADAS COM A CENTRAL: É interessante que se operacionalize a possibilidade de que sejam conectadas as câmeras de comércios e condomínios em pontos estratégicos com a própria central de videomonitoramento da Prefeitura.

3.       MELHORAR A ILUMINAÇÃO: É sabido que existe uma forte correlação entre iluminação pública e segurança pública. Hoje o bairro Campinas já conta com boa parte de iluminação por LED, entretanto é fundamental ampliar esta iluminação também para todo o bairro Kobrasol e Roçado.

Ressaltamos ainda a necessidade de que cada ação aqui listada tenha continuidade por todo o período posterior. Não adianta executar uma grande força-tarefa nas primeiras semanas e parar esta ação nas semanas seguintes, elas precisam continuar mesmo que com menor frequência. Só assim garantiremos a tão sonhada segurança da nossa região.

Você concorda com estas reivindicações? Então ASSINE NOSSO ABAIXO-ASSINADO.