Motoristas de ônibus, não aguentamos mais imprudências!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!



Foi um motorista de ônibus que tirou a vida do meu filho. Um motorista de ônibus, profissional, que deveria ser treinado, capacitado.


Meu filho encontrou um ônibus numa via onde ônibus não deveria passar. Esse ônibus passou por cima do peito dele e matou meu filho.


O veículo de placa EFV ****, da empresa MobiBrasil (UNIBRASIL) estava sendo conduzido por um motorista que estava de folga do serviço e foi chamado para levar o veículo para o ponto final. Conforme B.O.da Polícia Civil de SP, fora do itinerário comum da linha, afirmando que estava como reservado, porém não estava como reservado em fotos tiradas no local.


O ônibus invadiu a contra mão e pegou meu filho, que estava de bicicleta. A empresa de ônibus não prestou nenhuma solidariedade.


O morte do meu filho não passou na televisão, não saiu no jornal. Só foi vista porque nós nos unimos, fomos atrás de muita gente. Foi na periferia, lugar de gente humilde, gente que às vezes é invisível. 

Quando um ônibus matou uma modelo na Faria Lima saiu em todos jornais, também no cruzamento da avenida Paulista com a avenida Brigadeiro Luis Antônio a vítima fatal de um ônibus foi Marlon Moreira de Castro. Ali também morreram atropelados por ônibus Márcia Prado em 2009 e Julie Dias em 2012.

É triste saber que em TODAS motoristas de ônibus estavam envolvidos. Na Avenida Presidente João Goulart também foram 2 mortes de ciclistas por carro e ônibus, e vários atropelamentos por carros, motos e ônibus. Foram 8 pedestres nos últimos dois anos, 5 deles foram fatais.

Infelizmente uma delas meu filho Gustavo, numa bicicleta, onde o atropelamento foi um ônibus.

Ao contrário da Avenida Paulista, cartão Postal da cidade, nada havia sido feito, até que NÓS resolvemos nos mexer, ir atrás da subprefeitura, fazer um abaixo assinado (que em maio de 2016 já estava com 21 mil assinaturas). Saiba mais em:  www.change.org/ joaogoulartsegura

Nem mesmo lombadas, nem faixas de pedestres e nem calçadas existiam. Agora finalmente os pedidos foram atendidos.

Agora é hora de pedir mais! De acordo com o site Vá de Bike, no ano de 2014, “a autarquia responsável pela gestão das linhas de ônibus informou que a Secretaria Municipal de Transportes (SMT), por intermédio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da SPTrans, já vem preparando uma proposta de programa específico de formação para motoristas de ônibus com foco na relação com os ciclistas.

A ideia será apresentada às empresas de ônibus (concessionárias e permissionárias) que, na sequência, poderão realizar os cursos aos seus condutores.” Mas até o momento nenhuma ação concreta foi tomada.

Em 2009 houve uma primeira capacitação: “São Paulo tinha 80 garagens de ônibus. Cada garagem teve pelo menos um “multiplicador” presente no curso.

Eles serão responsáveis por repassar as informações recebidas, através de um curso interno, para todos os cerca de 60 mil motoristas de ônibus de linha da cidade de São Paulo.

Além de fazer o curso, cada motorista receberá um panfleto com o resumo das informações recebidas.” Isso ainda é muito pouco!

80 motoristas treinados e um panfleto? Isso é ridículo!

QUEREMOS TREINAMENTOS E CAPACITAÇÃO CONSTANTE!

Diariamente esses mesmos motoristas são vistos excedendo a velocidade e em ônibus sem manuntenção adequada. Sem o habilidade necessária para proteger as pessoas de bicicleta que se deslocam pela cidade e isso é muito preocupante.

Aqui estamos nós, cobrando esse compromisso e ação, em pleno ano 2016. Queremos treinamentos práticos e capacitação contínua, para que nenhuma vida seja perdida na cidade de São Paulo.



Hoje: Patrícia está contando com você!

Patrícia Ferreira precisa do seu apoio na petição «Prefeito Haddad: Motoristas de ônibus, não aguentamos mais imprudências!». Junte-se agora a Patrícia e mais 851 apoiadores.