Onde está Cadu?

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


No dia 27 de dezembro de 2019, cinco jovens confraternizavam em um bar, na periferia de Jundiaí (SP), quando foram abordados pela PM. Todos foram revistados, mas apenas Carlos Eduardo dos Santos Nascimento, o Cadu, 20 anos à época, teve o celular apreendido, foi algemado e levado pelos policiais na viatura. Cadu era o único negro do grupo.

Desde então, nenhum esclarecimento sobre o paradeiro de Cadu. O inquérito corre em sigilo e os responsáveis pelo ocorrido, o 2º Sargento PM Anderson Torres, Soldado PM Júlio César de Lima e Soldado PM Denilson Lucas Diniz, foram afastados das ruas e cumprem funções administrativas, recebendo normalmente seus vencimentos.A viatura foi lavada antes da perícia. Nenhum dos quatro amigos quis depor, alegando medo de serem mortos. Os pais de Cadu, o segurança  Eduardo Aparecido do Nascimento e a dona de casa Carla Santos, se mobilizaram para esclarecer o sumiço do filho, mas desanimaram com a ausência de resultados.

Em um país onde o racismo estrutural faz vítimas negras todo dia, o silêncio ensurdecedor que envolve este crime apenas aumenta a dor de seus pais e a indignação de quem quer um país melhor para todos.Seis meses é tempo demais sem notícias do paradeiro de Cadu. Seus pais sequer tem um túmulo para chorar a perda injusta e injustificada de um filho querido. Exortamos as autoridades a esclarecer este crime com a maior brevidade e punir seus perpetradores com o rigor da lei. É o que se espera de quem tem que zelar pela segurança dos cidadãos e prestar contas de seus atos.