Projeto Ursos Basquetebol - Reutilização da quadra da EMEF Presidente Epitácio Pessoa

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 15.000!


Aos cuidados do Sr Secretário Municipal de Educação Bruno Caetano.

Viemos informar ao senhor que foi entregue no, dia 16 de outubro de 2019, um documento com autoria do diretor da unidade escolar EMEF PRESIDENTE EPITÁCIO PESSOA , comunicando que os atletas projeto Equipe Ursos Basquetebol terão mais alguns horários restringidos de uso da quadra, dificultando os treinamentos e prejudicando o andamento do projeto, já que, a partir da data citada, somente os sábados poderão ser utilizados para as atividades do projeto em sua plenitude, tanto para participantes que também são alunos da escola, quanto para os que não estudam na escola mas fazem parte do projeto.  Anteriormente, a quadra era utilizada também durante os dias úteis.

Centenas de crianças e adolescentes estão sendo prejudicados com a interrupção de um projeto gratuito e voluntário, desde 1999 na escola e que a comunidade aprova. São cidadãos que ficam à mercê dos perigos reais da sociedade em que nós vivemos: drogas, o aliciamento ao tráfico e roubo. A chance de um deles se sujeitar a uma dessas condições diminui quando há um projeto tão lindo como o Ursos pelo caminho. Mas infelizmente falta tato da parte da direção da Unidade Escolar.

O motivo alegado pelo diretor é incoerente, fica claro que esta postura foi tomada como “retaliação” do Diretor Douglas Soares de Miranda RF 692 346 -1, já que no documento uma das causas apontadas para que os atletas do projeto deixem de frequentar a quadra durante a semana e o aumento no número de consumo da merenda, que sempre foi oferecida aos atletas inclusive para que não fosse para o lixo e assim houvesse desperdício. Após várias tentativas de conversa com o mesmo, todas frustradas antes mesmo de acontecer, porque nunca estava presente na escola, inclusive deixamos requerimentos na expectativa de sermos recebidos, o que não se realizou.

Esta postura tomada pelo diretor aconteceu após os pais e responsáveis dos atletas, que também são pais de alunos começarem a frequentar as reuniões de Conselho de Escola e questionaram sobre as verbas e outras atitudes tomadas, nunca recebemos respostas, além da cobrança da parte da comunidade pela iluminação da quadra e o trajeto de saída dos alunos da escola e o quão moroso foi a manutenção, uma vez que permanecemos sem a troca das lâmpadas de Janeiro a Julho de 2019. O apoio, que era incondicional ao Projeto (segundo o diretor em discurso em uma das formaturas, alias a única que participou) deixou de existir neste último ano quando os pais começaram a pedir as prestações de conta que nunca foram dadas.

Diante desses fatos viemos ao Sr Secretário Municipal de Educação pedir alguma atitude em relação a esses atos arbitrários, já que nós da comunidade de São Miguel Paulista temos um enorme apresso pelo projeto e solicitamos sua continuidade na EMEF PRESIDENTE EPITÁCIO PESSOA, que até então sua gestão era solicita e cedia a quadra para a realização do projeto, o que sempre agradou aos moradores do bairro. Salientamos que a Diretoria Regional de Ensino de São Miguel Paulista está ciente do ocorrido e não se opõe às atividades do projeto. O projeto Equipe Ursos Basquetebol só trouxe ganhos ao nosso bairro e sempre foi reconhecido com orgulho pela prefeitura. Lembrando que seu idealizador já ganhou o prêmio “Valeu Professor” da Prefeitura e em 2018 o Prêmio R.I.B.E. – Rede Internacional de Basquete Educativo (este prêmio internacional), indicado pelo Professor Dante De Rose Júnior, que tem levado não só o nome da EMEF PRESIDENTE EPITÁCIO PESSOA, mas também o de SÃO MIGUEL PAULISTA ao reconhecimento internacional.

A presença dos atletas do projeto ajuda na preservação do prédio contra depredação e pixação. Assim como além dos benefícios devido a visibilidade e notoriedade através dos títulos ganhos em nome do bairro, a presença dos atletas ajudam no fator segurança na Unidade Escolar devido a respeitabilidade e aceitação do projeto junto a comunidade, e a circulação de atletas nos arredores da escola à noite. Isso em um bairro-dormitório traz sim maior sensação de segurança, haja visto que não há muita movimentação nas ruas. Além do esclarecimento a essas atitudes que apresentam a falta de urbanidade e ética da direção, gostaríamos de frequentar a escola como a acontecia anteriormente a divulgação do documento elaborado pela direção da escola,, conforme à configuração do projeto desde 2008, ano em que a unidade escolar ainda estava sob a gestão da Diretora de Escola Suemi Inokawa, pois a escola tem como uma das funções integrar a comunidade local.

Solicitamos também a reabertura da quadra aos domingos, que foi fechada a ao longo de gestão da direção atual, já que são poucas as opções de lazer para a comunidade, um dos poucos espaços públicos do bairro. Logo, por todos os motivos citados anteriormente, solicitamos a mudança da gestão da escola, a retirada da direção atual. Se não houver o envolvimento da comunidade na escola, ou melhor dizendo uma influência recíproca, não poderemos afirmar que exista uma escola democrática que tanto aparece nas propagandas.
Sem mais, aguardamos por uma resposta.