Investigação e prisão para Roberto Alvim e reformulação do Prêmio Nacional de Artes

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 7.500!


No dia 16 de janeiro de 2019, o secretário de cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim, divulgou um vídeo seu em redes oficiais para apresentar o "Prêmio Nacional das Artes" (de teor fundamentalista, teocrático e neofascista), em que copiava a estética e reproduzia trechos de falas do Ministro da Propaganda Nazista, Joseph Goebbels, enquanto se ouvia ao fundo uma composição de Richard Wagner, compositor alemão mais aclamado por Hitler e popularizado durante o regime nazista.

Esse é um ato criminoso, antissemita, racista e violento que precisa de consequências imediatas e enérgicas para garantir o mínimo da decência institucional em nosso país.

Alvim precisa ser afastado, investigado, preso e o Prêmio Nacional das Artes precisa ser suspenso e reformulado à partir de valores democráticos, universais e adequados à pluralidade de povos, ideias e concepções presentes em nosso país.