Abaixo-assinado em defesa da atuação do bibliotecário escolar em Pernambuco

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


Castro Filho e Coppola Júnior (2012, p. 31) aludem “um fato alarmante que observamos com relação à infraestrutura e ao organograma das escolas públicas é a ausência [...] de profissionais habilitados, limitando a formação integral dos alunos” e não só nas escolas pública como também nas escolas particulares. Devendo atuar em paralelo com os professores na elaboração do plano pedagógico, observando datas comemorativas, debates de temas importantes, alinhando os conteúdos programáticos, podendo assim o bibliotecário coletar informações nos mais variados suportes. Porém, esse respeito as competências diversificadas de professores e bibliotecários, não vem sendo comum nesses ambientes de bibliotecas escolares, uma vez que encontramos quase sempre professores readaptados exercendo o papel de bibliotecário, muitos sem nenhum conhecimento teórico ou técnico da profissão, impossibilitando que a biblioteca escolar cumpra em sua plenitude com os seus objetivos.

A biblioteca escolar é um espaço de construção de conhecimento e desenvolvimento cultural dos estudantes. Para Silva E. e Moraes (2014, p.19) "Compreende-se a biblioteca escolar, assim como toda a diversidade[....] da escola, como elemento imprescindível para a constituição da subjetividade do estudante" e através dele, ter e pôr em prática, novas ideologias e percepções com o intuito de aprimorar o senso crítico e criativo. Nessa perspectiva, precisamos mudar a visão de que a biblioteca é apenas um lugar com livros e enciclopédias, de silêncio e falta de diálogo, de extrema organização e de muita formalidade pois atualmente devemos ampliar as ações desenvolvidas nesse espaço para muito além das enciclopédias e dos livros, disponibilizando a informação de diferentes formas e suportes como CDs, DVDs jogos, conteúdos em Braille e Libras, promover ou participar das atividades culturais da escola, principalmente cedendo espaço para a realização de atividades que porventura não tornem o acervo vulnerável como campeonato de jogos de tabuleiro, contação de histórias, dentre outras atividades.

Em consonância com a Lei 12.244 de 2010 que dispõe sobre a universalização das bibliotecas escolares observando o disposto no Art. 3° " Os sistemas de ensino do País deverão desenvolver esforços progressivos para que a universalização das bibliotecas escolares, nos termos previstos nesta Lei, seja efetivada num prazo máximo de dez anos, respeitada a profissão de Bibliotecário" uma vez que o bibliotecário tem a sua profissão regulamentada na Lei 4.084, de 1962. de exercício privativo dos bacharéis em Biblioteconomia em qualquer de seus ramos, tendo dentre as suas atribuições: administração e direção de bibliotecas; a organização e direção dos serviços de documentação; a execução dos serviços de classificação e catalogação de manuscritos e de livros raros e preciosos, de mapotecas, de publicações oficiais e seriadas, de bibliografia e referência; que podem ser observadas no Art. 6°, alíneas c,d,e.



Hoje: Carolina está contando com você!

Carolina Santos precisa do seu apoio na petição «Ministério Público de Pernambuco: Defesa da atuação do bibliotecário escolar em Pernambuco». Junte-se agora a Carolina e mais 599 apoiadores.