Designação de reitor pro tempore da Univasf #aUNIVASFjaESCOLHEU

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Mesmo após consulta pública realizada no dia 05/11/2019, através da qual toda a comunidade acadêmica manifestou de maneira soberana, autônoma e democrática a preferência pelo Prof. Télio Nobre Leite como reitor e a Profa. Lúcia Marisy Souza Ribeiro de Oliveira como vice-reitora, com maioria em todos os setores (discentes, docentes e técnicos), e mesmo após a formação da lista tríplice votada no Conselho Universitário no dia 29/11/2019, movimentos inconformes com o proceder democrático iniciaram uma série de ataques com o objetivo de alterar este processo e desafiar de maneira assombrosa a vontade da maioria da comunidade acadêmica.

A esta altura, a lista tríplice legalmente formada pelo Conselho Universitário está tramitando judicialmente, fazendo com que o processo para a formalização da nova gestão esteja "congelado", mesmo já estando a lista aprovada judicialmente em primeira instância. O mandato do atual reitor, Prof. Julianeli Tolentino de Lima, encerrará no dia 05/04/2020 (domingo). A Medida Provisória Nº 914/2019 dispõe, no seu Art. 7º, que em caso de vacância simultânea dos cargos de reitor e vice-reitor, bem como na impossibilidade de homologação do resultado da votação em razão de supostas irregularidades verificadas no processo de consulta, cabe ao Ministro da Educação designar um reitor pro tempore, isto é, de maneira provisória.

Desta forma, as entidades do movimento estudantil da Univasf, por meio de um Conselho de Entidade de Bases realizado por videoconferência no dia 04/04/2020, manifestam através deste documento seu posicionamento de que o reitor pro tempore seja o primeiro colocado tanto da consulta pública quanto da lista tríplice formada pelo Conselho Universitário, Prof. Télio Nobre Leite, corroborando com a vontade democrática da maioria da comunidade acadêmica. Na impossibilidade deste, sugerimos que o reitor pro tempore seja o próprio reitor em exercício, Prof. Julianeli Tolentino de Lima, que manifestou formalmente seu interesse em assumir o cargo de maneira temporária até o tramitê em julgado da lista tríplice. Dessa maneira, evita-se que interesses duvidosos ou contrários ao projeto de gestão escolhido por maioria se apodere do cargo através de manobras.

A representação discente deixa expressamente claro que não aceitará interventores com propósitos obscuros, principalmente os representantes de grupos cuja inegável e inflexível derrota, refletida na rejeição amplamente expressa pelos votos da comunidade acadêmica, lhes parece ser inaceitável, e por isto se valem de quaisquer mecanismos para impor sua vontade de maneira desrespeitosa com a democracia.