Abolição pecuária: pelo fim da exploração animal

Abolição pecuária: pelo fim da exploração animal

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!
Com 1.000 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!
BRUNO SANCHES criou este abaixo-assinado para pressionar Ministério da Agricultura e

1. Das considerações iniciais 
Caros leitores

Venho por meio desta em prol do fim da exploração animal no país. Com 97% da equipe científica global de acordo às mudanças climáticas faz-se necessário meios de mitigar sérios problemas sócio-ambientais como a pecuária. Esse setor social que produz em larga escala para a demanda social tem criado sérios problemas ambientais no país como o desmatamento desenfreado na amazônia, queimadas ilegais, morte de muitos nativos americanos e é claro, a exploração e tortura de seres sencientes que são vitimas de uma sociedade que só se preocupa com lucro. Não é novidade e nem teoria da conspiração que uma alimentação à base de vegetais orgânicos produzidos de forma ética e limpa é beneficial para muitos setores sociais e pessoais. Em face à uma sexta extinção em massa em troca da nossa zona de conforto venho aqui fomentar e exaltar o dever governamental das instâncias superiores em protegerem e adereçarem esse problema. É dever da nação e de seus governantes, bem como do povo, pedir por justiça e observação de problemas tão críticos como o uso de mão de obra animal para geração de lucro. Dessa forma, peço-lhes que contribuam para a abolição da escravidão animal, pelo planeta, pelos animais, pelas futuras gerações e por si mesmos. 

2. Dos planos de ação

Uma mudança radical seria devastadora tanto para a economia quanto para demais envolvidos. É essencial que os membros do governo estudem e façam planos para mitigar e adaptar às mudanças para o completo término das atividades pecuárias no país. Para tanto ratifico a importância de:
1* Criar leis que amparem animais não-domésticos contra violência, tortura e abusos de qualquer natureza;

2* Investir em programas sociais que valorizem a educação sócio-ambiental e ética para com os animais e que complemente a lei LEI No 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999 que ratifica a educação ambiental no país.

3* Acabar com abatedouros e criadouros de animais de qualquer ordem para uso doméstico, medicinal, industrial e qualquer outra natureza.

4* Punir com toda a severidade da lei qualquer membro da sociedade humana que use um animal para benefício próprio sem considerações éticas para com o mesmo

5* Proibir a venda, troca, negociações que envolvam animais domésticos e não-domésticos

6* Criar programas sociais e/ou planos da restauração da agricultura orgânica e sustentável no país para a alimentação da população. 

3. Dos efeitos negativos da pecuária no mundo

De acordo com dados oficiais da ONU (Organização das Nações Unidas) a pecuária sozinha conta com um número de emissão de gases do efeito estufa maiores que os meios de transporte no planeta (Leia: Livestock's long shadow: environmental issues and opinions). A iniciativa LEAD (Livestock, Environment and Development) aponta para vários fatores de poluição do ar com a emissão de metano, dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa associados com a pecuária. Como se não bastassem os problemas ambientais relacionados ainda temos os fatores de crueldade e falta de ética com os animais. Em de Paula (2015) vemos:
"O Comitê Brambell também desenvolveu a ideia central das chamadas cinco liberdades que devem ser asseguradas a todos os animais, pois configuram uma estrutura lógica e abrangente para análise do bem-estar. São elas:
• Liberdade fisiológica: livre de fome e sede, com fácil acesso à água fresca e a uma dieta que mantenha sua plena saúde e vigor;
• Liberdade ambiental: livre de desconforto, proporcionando um ambiente apropriado, incluindo abrigo e uma área de descanso confortável;
• Liberdade sanitária: livre de dor, ferimento ou doença, com a prevenção ou diagnóstico rápido e tratamento;
• Liberdade comportamental: livre para expressar seu comportamento normal, proporcionando espaço suficiente, instalações adequadas e a companhia de animais da própria espécie;
• Liberdade psicológica: livre de medo e distresse, assegurando condições e tratamento que evitem o sofrimento mental."

4. Das considerações finais
Visto por lentes da crueldade ou das mudanças climáticas/aquecimento global, desmatamento da amazônia e afins fica claro a importância do fim da pecuária no mundo atual. Devemos adaptar e mitigar para que a justiça sócio-ambiental com os animais seja concreta e que eles não mais tenham que nos servir. Não há paz enquanto ainda há um inocente é torturado, morto e vendido aos pedaços em cada esquina agravando não somente sua vida mas o planeta como um todo.

Referências:

http://www.fao.org/3/a0701e/a0701e.pdf - Livestock's long shadow: environmental issues and opinions)

https://aplicacao.mpmg.mp.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/1286/A%20CRUELDADE%20NA%20PRODUÇÃO%20DE%20ALIMENTOS.pdf?sequence=1

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm#:~:text=LEI%20No%209.795%2C%20DE%2027%20DE%20ABRIL%20DE%201999.&text=Dispõe%20sobre%20a%20educação%20ambiental,Ambiental%20e%20dá%20outras%20providências

 

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!
Com 1.000 assinaturas, é mais provável que essa petição seja recomendada a outras pessoas!