Pela redução dos preços dos combustíveis no Brasil

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Desde 2016, os preços dos combustíveis no Brasil vêm sofrendo diversos aumentos que doem no bolso da população. Afinal de contas, quem sofre é o responsável pela refeição da família, que precisa do botijão de gás cheio; o motorista de aplicativo e os trabalhadores que precisam do carro como transporte, mas se deparam com preços exorbitantes na gasolina; e os caminhoneiros, que precisam do diesel para transportar encomendas por todo o País.

Por que é tão cara?

Em 2015, com apenas R$ 50 era possível comprar um botijão para o mês, abastecer o caminhão e rodar mais de 100 km no carro. A partir de 2016, no entanto, o governo resolveu adotar a política de preços do mercado internacional na Petrobras – ou seja, passamos a pagar em dólar pelo combustível produzido no Brasil.

Logo, o diesel, que era vendido a R$ 3 em 2015, passou para R$ 3,70 em 2016, mesmo saindo da refinaria a R$ 2,15. A gasolina, que antes era R$ 3,30, subiu para vertiginosos R$ 4,50, chegando a R$ 6 em alguns lugares do país. Já o gás de cozinha é ainda mais inacreditável! De R$ 45 em 2015, o preço quase dobrou: R$ 70, passando de R$ 100 em alguns Estados.

Como manter o tanque cheio?

A solução é pressionar o governo federal, na figura do presidente Jair Bolsonaro, a baratear os produtos, mudando sua política de preços. Enquanto a Petrobras for pública, o governo pode mandar baixar o preço nas refinarias. Caso a empresa seja privatizada, perderemos o controle sobre o custo dos combustíveis.

Os brasileiros merecem pagar um preço justo pela gasolina, gás de cozinha e diesel – são itens que dizem respeito ao bem-estar e à qualidade de vida da população. Estamos falando de saúde, meios de transporte e segurança. Assine a petição contra o aumento dos combustíveis no Brasil para manter seu tanque cheio!

Acompanhe a Campanha Tanque Cheio nas redes sociais: Instagram | Facebook | YouTube.