Vitória confirmada

Governador Pezão: Não deixe o Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) morrer!

Este abaixo-assinado foi vitorioso com 92.296 apoiadores!


O HUPE, existe desde 1950 e desde 1963 atua como Hospital Universitário. Ao longo desses anos, a par da formação de recursos humanos de excelência, em nível de graduação e pós-graduação strictu e latu sensu, nas áreas de Medicina, Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Psicologia e Serviço Social, entre outras, tem prestado serviços de saúde a grande parte da população fluminense.

São quase dois milhões de pacientes matriculados. Tem cumprido seu papel social servindo de suporte à rede pública de saúde para os chamados “casos difíceis”, que além de expertise técnica, requerem o aporte de recursos tecnológicos avançados. No entanto, o HUPE enfrenta uma crise sem precedentes em sua história.

O Centro Cirúrgico parcialmente fechado, cirurgias e internações muito reduzidas, seu centro radiológico praticamente inativado por falta de manutenção de equipamentos. Faltam insumos nas áreas de materiais médico-hospitalares e medicamentos. Seus laboratórios sofrem com a falta de reagentes. Os funcionários terceirizados nas áreas de limpeza, manutenção, segurança e alimentação, sem receber seus salários, reduziram drasticamente suas atividades, deixando o Hospital em situação pré-calamitosa.

 De seus quase 500 leitos habituais, somente cerca de um terço estão ocupados, e mesmo assim graças ao esforço do seu corpo clínico. Governador Pezão: o futuro do HUPE e de seus pacientes está em suas mãos. Não deixe o HUPE morrer.  Basta voltar a pagar os contratos de limpeza, alimentação, lavanderia e manutenção. É simples e barato. Faça o HUPE funcionar novamente.



Hoje: Henrique está contando com você!

Henrique Aquino precisa do seu apoio na petição «Governador do Rio de Janeiro: Não deixe o Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) morrer!». Junte-se agora a Henrique e mais 92.295 apoiadores.