Proposta do Movimento Gastronomia Viva para otimizar práticas de distanciamento

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Ref.: Proposta de colaboração do setor de bares e restaurantes para 2021, através do Movimento Gastronomia Viva, junto ao Governo do Estado de São Paulo no âmbito da epidemia de COVID19 para a reclassificação dentro do Plano São Paulo prevista para 15/01/2021.

 

Exmo. Sr. Dr. Paulo Menezes,

 

Desde o início da pandemia do vírus Sars-Cov-19 e da COVID-19, o setor de hospitalidade e serviços de alimentação fora do lar se colocou ao lado do Governo do Estado de São Paulo no sentido de cumprir e fazer cumprir todas as metas e condições do Plano São Paulo, aderindo a todas as melhores práticas e fazendo os investimentos necessários. Conforme nosso ofício datado de 07 de janeiro último, estamos à disposição para discutir e colaborar com as decisões e medidas necessárias para aplacar e controlar a disseminação do vírus.

 

Reconhecemos e parabenizamos o Governo do Estado e a sua gestão em prol da população paulista e brasileira pela visão, empenho e execução das ações que nos permitiram viabilizar a vacina através do Instituto Butantã e nos colocamos a disposição, através da nossa capilaridade, para conscientizar e informar a população a respeito dos procedimentos e protocolos do plano de vacinação.

 

Reiteramos nosso compromisso de cumprimento de todas as regras, protocolos e diretrizes estabelecidas para o setor da alimentação fora do lar e acreditamos que podemos colaborar ainda mais para organizar a sociedade dentro do modelo de distanciamento e melhores práticas.

 

Dados levantados pelas prefeituras de Nova York e Londres mostraram que o setor de restaurantes e bares com serviço sentado representou somente 1,43% do total de transmissões do vírus da SARS COVID-19, enquanto reuniões privadas representaram mais de 74%.

 

Os protocolos utilizados nessas cidades contradizem em parte o que vemos aqui no Brasil e algumas medidas podem surtir efeitos mais imediatos e efetivos no controle da transmissão do vírus, que conforme dados acima, é mínimo dentro do setor da alimentação fora do lar.

 

Também há evidências que o fechamento dos restaurantes e bares sentados provoca o aumento de reuniões privadas, clandestinas, contribuindo para a ocorrência de aglomerações, fora dos estabelecimentos, sem controle algum por parte das autoridades sanitárias e sem a possibilidade de que os estabelecimentos possam exercer sua função orientativa e de fazer cumprir os protocolos e normas estabelecidas.

 

Estamos seguros de que uma parceria de nosso setor com os órgãos do estado e das prefeituras ajudará sobremaneira a adoção das melhores práticas.

 

Entendemos, pela experiência de sucesso que tivemos, que esta seria a melhor proposta para conter a transmissão:

 

●        Definir o horário de fechamento de restaurantes e bares sentados de forma que possibilite socialização organizada e sem excessos - entrada até as 22h, fechamento total até as 23h;

●        Limitação da venda de alcoólicos a partir das 22h nos estabelecimentos, supermercados, lojas de conveniência, ambulantes ou qualquer outra variedade de comércio - evitando aglomerações e o respectivo consumo na rua;

●        Estabelecimento de toque de recolher ou lockdown total das 24:00 às 6:00 h para coibir festas, aglomerações e eventos privados nas ruas e espaços públicos sem o controle e fiscalização dos órgãos competentes;

●        Utilização de áreas abertas e/ou calçadas (para quem já possui TPU) respeitando os mesmos protocolos das áreas fechadas, somente com consumo sentado, distanciamento e respeitos a normativa de 1,20m para circulação;

●        Ocupação máxima limitada a 60% da capacidade do local, desde que observados o distanciamento de mesas e pessoas recomendado pelas normas de segurança;

●        Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos conforme as normas vigentes, complementadas pelos protocolos constantes no anexo deste documento.

 

Desde já nos propomos a:

●        Respeitar, exigir e propagar boas práticas de segurança;

●        Não efetuar vendas de balcão exceto “to-go” /consumo em casa;

●        Não servir pessoas em pé dentro ou fora do estabelecimento;

●        Desestimular e comunicar aglomerações na rua, em frente e/ou próximo ao estabelecimento, acionando as autoridades quando necessário;

●        Acordar com as associações, entidades e sindicatos do setor a assinatura de termos de compromisso com cada um dos seus membros com o objetivo de ajudar os órgãos oficiais federais, estaduais e municipais na fiscalização e cumprimento das normas acordadas, bem como servir de canal de comunicação e treinamento com os estabelecimentos;

●        Fazer campanha de divulgação das informações que demonstram serem estas a melhores regras para conter a transmissão do vírus;

●        Elaborar documentos de apoio a estas medidas e o compromisso do setor em colaborar com o governo em sua implementação;

 

Estamos certos de que um estabelecimento que siga e cumpra as medidas recomendadas e necessárias, além dos protocolos adicionais propostos contra a disseminação do novo Coronavírus, é um ambiente seguro e pode contribuir com a informação necessária para a conscientização de um público cada vez maior, possibilitando que dessa forma possamos vencer o Sars-Cov-19, atravessarmos juntos este momento difícil pelo qual passamos enquanto cidadãos, empresários, sociedade e país. Devemos superar o momento como uma Nação unida, responsável e igualitária.

 

Aproveitamos o ensejo para requisitarmos e colocarmo-nos a disposição para a realização de uma audiência com Vs. Exmas. para que possamos apresentar as questões acima colocadas em detalhes e discutir possíveis propostas, soluções e medidas que venham ajudar o Estado, a Capital e o setor de hospitalidade e alimentação fora do lar, bem como a sociedade de uma maneira geral e irrestrita.

 

Não podemos mais nos manter sentados esperando que medidas sejam tomadas sem a devida discussão com o mercado, de forma unilateral, e muitas vezes equivocada e sem os efeitos desejados de contenção da disseminação do vírus, mas com efeitos devastadores para um dos setores mais importantes da economia, resultando no aumento do endividamento e/ou fechamento de milhares de empresas, na perda de milhares de empregos e fechamento de importantes postos de trabalho diretos e indiretos e a respectiva redução da arrecadação federal, estadual e municipal.

Sem mais colocamo-nos à disposição para colaborarmos no que for necessário.

 

 

Atenciosamente,

 

Airton Spagnol - Churrascaria & Pizzaria Nonnas Paola

 

Alex Atala – Grupo DOM

 

Alexandre Furini - ElTranvia / Eluruguayo

 

André Guilger - Madeleine

 

Arri Coser – NBSteak e Maremonti

 

Augusto Quardado- Churrascaria Boi gaúcho.

 

Bernard e Bruno Contipelli - Restaurante  Pontremoli Campos do Jordão

 

Bruno Lima - Mondo Gastronômico

 

Caio Mazati - Virote Bar

 

Carlos Claro- Tartuferia San Paolo

 

Carlos Ferreira- Atol Bar

 

Carlos Pallas - Bacalhau, Vinho & Cia

 

Carolina Brandão - Las Chicas e Clementina

 

Cláudio Albieri - Coffee and Co.

 

Clarice Chiella - Sabor em Família

 

Cristiane Gomes – Vevey

 

Daniel Sahagoff- Cantaloup e Loup

 

Danielle Dahoui – Bistrô Ruella

 

Diego Gomes – Desfrutti

 

Edrey Momo – Tasca da Esquina

 

Erick Momo- 1900 Pizzaria

 

Fabiana Ribelato - Kabana Rock Bar

 

Felipe Pallas- Restaurante Fulô; Loirão Bar

 

Fernando Blower – ANR (Associação Nacional dos Restaurantes)

 

Fernando Fischer - Boteco Parô, Timba Cozinha e Bar, Teishoku

 

Fernando Sauceda- Beco do Espeto

 

Fabio Ferreira- Atol Bar

 

Fabio Pallas - Adega Original

 

Gabriel e Kyko - Bar Charles Edward, Casa Carbone, Sta.Matta

 

Georges Schnyder – Mundo Mesa

 

Getulio- Churrascaria boi Gaucho Grill I

 

Gilberto Brozinga - O Brasileirinho

Greg Caisley - Patties

 

Gustavo Costa - MoMa Osteria

 

Hans Scheller - G&T Bar

 

Hugo Delgado – Taquería La Sabrosa

 

Igor Peixoto - Restaurante Dona Florinda

 

Ildo- Churrascaria boi Gaucho Grill II

 

Isaac Azar – Grupo Paris 6

 

Isadora Bello Fornari – Rosário RSR

 

Ivan Achcar – EGG - Escola de Gestão em Negócios da Gastronomia

 

Janaína Rueda – A Casa do Porco e Bar da Dona Onça

 

Jacson A. Rafaloski - Mundo Animal Lanchonete Temática

 

Jean Ponce – Guarita

 

João Paulo Gentille - Praça São Lourenço

 

José Augusto- Churrascaria do Bosque

 

Juglio Ortiz- A Barra Coquetelaria e cozinha

 

Juscelino Pereira – Restaurante Piselli

 

Lamberto Percussi - Vinheria Percussi

 

Leo Marigo - Grupo Evvai e Rendez Vous Bistro

 

Luciano Carvalho- Divine Bar

 

Luiz Carlos Aires Lourenço- Café Creme

 

Luzia Midori N Fugita- Restaurante Taiyoo

 

Manoel Almeida - Restaurante Sophia

 

Mara Ferraz Lopes - Dell arte Ristorante

 

Marcello Cunha - Kofi & Co

 

Marcelo Fernandes – Grupo Gastronomia MF

 

Marcelo Magalhães – Nino Cuccina

 

Marcio Ikeda - The Box Food Park

 

Marcos Livi – Verissimo

 

Maria José - Rotisseria Maria Massas

 

Marie France e Leo Henry - La Casserole

 

Marcos Liv- Grupo CGC Veríssimo

 

Mateus Godoy - Casa Santo Antônio

 

Mauricio Maia – O Cachacier / Paladar OESP

 

Maurício Sá - Dona Firmina Pizzaria e Firmina Central

 

Michel Kerlakian- Graça di Napolli Pizzaria, Dona Carmela Restaurante, Chip’s Burger e Raizes Nordestinas

 

Miton  Danni Churrascaria Poncho Verde

 

Natália Yuri Fugita- Terraço Taiyoo

 

Nora Brass- A Barra Coquetelaria e cozinha

 

Norberto Bustus – Go Where

 

Oscar Bosch restaurante Tanit e Nit bar de Tapas

 

Paulo Solmucci – ABRASEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes)

 

Rafael Silva – Gomo Bar e Buco

 

Raphael Levy - Restaurante Meats

 

Ricardo Cussiol - Lucca ristorante

 

Robson Sanchez de Souza - Restaurante Rei do Abadejo

 

Rodolfo Gonçalves - Alpenhaus (Campos do Jordão - SP)

 

Rodrigo Fróes - Restaurantes Jam

 

Rodrigo Queiroz – Trebicchieri

 

Shanti Nilaya- Condessa Bistro

 

Sonia Issa - Tellaro Restaurante

 

Thiago Gomes - Thipah Restaurante

 

Thomaz Foz – Fitó

 

Tita Dias – Canto Madalena

 

Tuca Mezzomo - Charco Restaurante

 

Vanessa Fiuza - Chef Rouge e Le Chef Boucher

 

Vicente Itri - Bar Salvador

 

Wail Hababi - Restaurante Marigot

 

Yugo Mabe Jr - Baze, Motirô e Tony Slice

 

E demais...                                                      ... todos em nome do Movimento Gastronomia Viva