1 resposta

#Eleições Candidato(a) à Prefeitura de Salvador: o que fará pela Educação caso eleito(a)?

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 15.000!


Com as eleições municipais se aproximando, precisamos saber quais são as propostas dos(as) candidatos(as) à Prefeitura de Salvador para a Educação.

Apesar da recente evolução conquistada pelas escolas municipais quanto ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – fruto do empenho, ao longo de anos, dos seus profissionais –, ainda há muito o que ser feito pela Educação na capital baiana. O ranking de Salvador no Ideb precisa muito ser ampliado. Quais propostas contemplam esse quesito nas candidaturas dos(as) senhores(as)?

Após meses de estudo à distância, com o iminente retorno às aulas presenciais, precisamos que o plano de retomada e pós-pandemia seja traçado com muita assertividade e responsabilidade – tanto para assegurar a saúde e segurança dos estudantes em relação ao contágio do novo coronavírus, quanto para combater um previsível aumento da evasão escolar e recuperar o aprendizado que foi perdido durante a quarentena. Milhares de crianças estão com o ensino defasado em decorrência dos meses longe da escola e dos obstáculos tecnológicos e sociais que os impossibilitaram de terem acesso sequer às iniciativas de atividades remotas ocorridas nesse período. E, mesmo antes da pandemia, a evasão escolar e a diminuição no acesso às escolas – devido à redução no número de vagas – eram problemas nas escolas municipais. Como os(as) senhores(as) candidatos(as) pretendem agir diante desse cenário?

Ainda em relação ao retorno às aulas, quais são suas perspectivas e propostas de implantação do ensino híbrido – realidade que se aponta como o próximo caminho a ser seguido pela Educação no país – , diante dos grandes obstáculos tecnológicos e sociais no acesso e nas habilidades, tanto dos estudantes quanto dos educadores, quanto ao uso dos meios digitais? Qual proposta os(as) senhores(as) trazem para o alinhamento do ensino remoto com os processos educacionais presenciais?

Outro ponto importante é a necessidade de ampliação na oferta de vagas em creches e pré-escolas para crianças de 0 a 5 anos – assim como a garantia das condições materiais, técnicas e formativas necessárias para os processos educativos nessa faixa etária basilar para o desenvolvimento humano. O que farão para que alcancemos a meta de 50% de cobertura de vagas, estabelecida pelo Plano Nacional da Educação (PNE), e para garantir a qualidade na oferta da Educação Infantil?

A EJA - Educação de Jovens e Adultos é também um ciclo de aprendizagem que merece especial atenção. Pois, além da mesma problemática da deficiência na estrutura, materiais e apoio pedagógico, ao longo dos últimos anos vem sofrendo, de forma  ainda mais intensa, com a redução no número de vagas e de unidades escolares e com a evasão escolar. O que os(as) senhores(as) pretendem fazer em prol de mais vagas e de uma melhor valorização, estrutura e materiais para a EJA?

O investimento na infraestrutura da Rede Municipal escolar de Salvador é outro quesito importante. Existem escolas em situação precária na capital, com equipamentos que não atendem às suas necessidades, deficiência de materiais pedagógicos e espaços adequados à prática pedagógica, como bibliotecas, brinquedotecas, laboratórios, quadras poliesportivas e salas de Arte. Além de estruturas físicas comprometidas e a dificuldade de acesso a saneamento básico nas comunidades assistidas por essas unidades escolares. Como pretendem investir na manutenção e adequação de nossas escolas?

Com cerca de 140 mil alunos na rede municipal de ensino, Salvador conta apenas com 15 a 17 mil crianças matriculadas em tempo integral na rede municipal de ensino. Uma das metas do PNE é disponibilizar educação em tempo integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas, com atendimento de, pelo menos, 25% dos alunos da educação básica. O que os(as) senhores(as) planejam realizar para que alcancemos essa meta do PNE em relação à oferta de vagas de tempo integral?

Um outro problema histórico enfrentado é a distorção idade-série de crianças e adolescentes da rede municipal, que hoje é de 24,1% nos anos iniciais e 42,5% nos anos finais. Muitos estudantes, hoje, estão atrasados em relação aos anos que deveriam estar cursando. Como as candidaturas dos(as) senhores(as) trabalharão para que esses alunos voltem a cursar as séries compatíveis com suas idades?

Não existe escola de qualidade sem professores(as). Portanto, precisamos saber como os(as) senhores(as) pretendem valorizar a formação, remuneração, aumentar a quantidade de professores(as) e de profissionais especializados na rede municipal de ensino, além de promover e incentivar sua qualificação?

Criamos este abaixo-assinado para saber como os(as) senhores(as) candidatos(as) à Prefeitura de Salvador pretendem tratar deste tema que é essencial em nossa cidade: a Educação.

 

Se você também quer saber, assine para exigir respostas dos(as) candidatos(as)!