Petition Closed
Petitioning Comediante Rafael Bastos

Diga a Rafinha Bastos que sexo e estupro são diferentes e que estuprador merece cadeia

Em maio uma reportagem ( http://www.rollingstone.com.br/edicoes/56/textos/a-graca-de-um-herege/ ) da revista Rolling Stone mostrou o comediante Rafinha Bastos contando a seguinte piada: "Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho. Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade. Homem que fez isso não merece cadeia, merece um abraço."

A piada teve ampla repercussão. A Marcha das Vadias em SP, por exemplo, terminou o seu ato na frente do clube de comédia The Comedians, pertencente a Rafael e a Danilo Gentili, outro integrante do CQC conhecido pelo seu humor "politicamente incorreto" (expressão que hoje equivale a um passe livre para ser preconceituoso). O Conselho Estadual da Condição Feminina de SP divulgou nota de repúdio contra a piada, e a Secretaria Especial de Mulheres também pediu explicações ao comediante. No entanto, Rafinha não pediu desculpas nem mostrou qualquer tipo de arrependimento.

Entendemos que uma piada não é "só uma piada". É um meio de discurso como qualquer outro, sujeito a críticas como qualquer outra forma de expressão. Não queremos censurar o humor, mas exigimos que humoristas (como qualquer outra pessoa) sejam responsáveis pelo que falam. No caso da piada de Rafinha, o que ele fez foi dizer que 1) estupro é uma forma de sexo (sendo que, muito mais do que um ato sexual, é uma forma de violência, de poder e de dominação); 2) mulheres feias não fazem sexo e, portanto, estupro é uma boa oportunidade para elas; 3) mulheres estupradas não devem reclamar (e muito menos denunciar os estupradores); 4) estupradores de mulheres feias não devem ser punidos, e sim admirados. Não sabemos se Rafinha é a favor do estupro de mulheres bonitas, mas, ao dizer que mulheres feias merecem ser vítimas de um crime hediondo, o comediante espalha o ódio e o machismo contra todo um gênero, contra as mulheres em geral. O comediante também parece desconhecer que mulheres de todo tipo de aparência, idade, raça, orientação sexual, religião etc costumam ser estupradas, independente da roupa que usam e da sua beleza ou feiura. Um terço das mulheres no Brasil e no mundo já sofreu alguma espécie de abuso sexual. E não acham isso engraçado.

Através desta petição, repudiamos a piada de Rafinha e exigimos um pedido de desculpas. Estamos estudando, também, promover um boicote às marcas dos patrocinadores do comediante. O estupro e o ódio contra as mulheres já é bastante difundido na nossa sociedade, e não precisa da contribuição de humoristas para aumentá-lo. O humor inteligente é o que combate os preconceitos, não o que os divulga.

 

Letter to
Comediante Rafael Bastos
Em maio uma reportagem ( http://www.rollingstone.com.br/edicoes/56/textos/a-graca-de-um-herege/ ) da revista Rolling Stone mostrou o comediante Rafinha Bastos contando a seguinte piada: "Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho. Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade. Homem que fez isso não merece cadeia, merece um abraço."
A piada teve ampla repercussão. A Marcha das Vadias em SP, por exemplo, terminou o seu ato na frente do clube de comédia The Comedians, pertencente a Rafael e a Danilo Gentili, outro integrante do CQC conhecido pelo seu humor "politicamente incorreto" (expressão que hoje equivale a um passe livre para ser preconceituoso). O Conselho Estadual da Condição Feminina de SP divulgou nota de repúdio contra a piada, e a Secretaria Especial de Mulheres também pediu explicações ao comediante. No entanto, Rafinha não pediu desculpas nem mostrou qualquer tipo de arrependimento.
Entendemos que uma piada não é "só uma piada". É um meio de discurso como qualquer outro, sujeito a críticas como qualquer outra forma de expressão. Não queremos censurar o humor, mas exigimos que humoristas (como qualquer outra pessoa) sejam responsáveis pelo que falam. No caso da piada de Rafinha, o que ele fez foi dizer que 1) estupro é uma forma de sexo (sendo que, muito mais do que um ato sexual, é uma forma de violência, de poder e de dominação); 2) mulheres feias não fazem sexo e, portanto, estupro é uma boa oportunidade para elas; 3) mulheres estupradas não devem reclamar (e muito menos denunciar os estupradores); 4) estupradores de mulheres feias não devem ser punidos, e sim admirados. Não sabemos se Rafinha é a favor do estupro de mulheres bonitas, mas, ao dizer que mulheres feias merecem ser vítimas de um crime hediondo, o comediante espalha o ódio e o machismo contra todo um gênero, contra as mulheres em geral. O comediante também parece desconhecer que mulheres de todo tipo de aparência, idade, raça, orientação sexual, religião etc costumam ser estupradas, independente da roupa que usam e da sua beleza ou feiura. Um terço das mulheres no Brasil e no mundo já sofreu alguma espécie de abuso sexual. E não acham isso engraçado.
Através desta petição, repudiamos a piada de Rafinha e exigimos um pedido de desculpas. Estamos estudando, também, promover um boicote às marcas dos patrocinadores do comediante. O estupro e o ódio contra as mulheres já é bastante difundido na nossa sociedade, e não precisa da contribuição de humoristas para aumentá-lo. O humor inteligente é o que combate os preconceitos, não o que os divulga.