URGENTE!!! PEDIMOS FIM DE PRIVILÉGIOS NO PAÍS E REMANEJAMENTO DE RECURSOS PARA A SAÚDE

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.000!


O Covid-19 (Coronavírus) fez suas primeiras vítimas no Brasil e o número de infectados tende a evoluir. O sistema público e a população vem buscando alternativas para manter a prevenção e o controle do contágio. Contudo, nos próximos meses, haverá necessidade de maior investimento na área da saúde.

A equipe econômica do Governo Federal sinalizou medidas para atenuar a crise gerada pela epidemia do Coronavírus, o que inclui a redução proporcional de salários e da jornada de trabalho. Tais medidas, fazem parte de um pacote do governo para, supostamente, evitar demissões em massa de trabalhadores, que deverá acontecer, em virtude do declínio da atividade econômica observada por especialistas.

Em uma pesquisa feita pelo prestigiado portal de notícias “Congresso em Foco”, ficou evidenciado que os Deputados Federais podem chegar a custar R$ 86 milhões por mês aos cidadãos brasileiros. Portanto, os gastos com os deputados gira em torno de R$ 1 bilhão por ano, já considerando os altos salários, as verbas indenizatórias, as assessorias, a aposentadoria especial, etc... (Fonte: metropoles.com). Ademais, devemos considerar que temos o fundão eleitoral e o fundo partidário, os quais alcançam milhões, destinados ao processo eleitoral.

Em um processo reflexivo, devemos fazer o comparativo entre os salários dos deputados federais e da classe trabalhadora, a qual necessitará de recursos para seu auto-sustento.

Diante desse panorama, vimos por meio deste documento eletrônico, propor ao TSE que destine 70% dos recursos do Fundo Partidário para o sistema de saúde. Cabe destacar que o Senador Randolfe Rodrigues se manifestou publicamente, sugerindo “um PL alterando a Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995 (Lei dos Partidos Políticos), e a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997 (Lei das Eleições) para, em casos de pandemia, autorizar o Poder Executivo a destinar todos os recursos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanhas para ações destinadas ao enfrentamento de crises na saúde pública”, proposta que coaduna com nossos anseios.

Da mesma forma, solicitamos com urgência: a redução dos salários dos deputados em 50%, a diminuição dos assessores em 30% e o fim das verbas indenizatórias, as quais deverão ser remanejadas para o sistema de saúde.

Devemos compreender que o momento é delicado. Cuidar da saúde dos brasileiros é PRIORIDADE!