Contra o Aprisionamento de Aves em São Paulo

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Já pensou em passar a vida inteira confinado, sem o direito de ir e vir? 

Pássaros confinados apresentam sintomas semelhantes aos de pessoas com o Transtorno de Estresse Pós Traumático Complexo (TEPT-C). Sob essas condições, as aves arrancam as próprias penas, bicam as grades da gaiola, ficam constantemente assustados e se desesperam com movimentos bruscos. Tentando voar inutilmente, se debatem contra as grades e caminham para frente e para trás nas gaiolas, que não possuem espaço para a vida de fato.

Alguns deles já nascem em cativeiro, outros são capturados e perdem sua liberdade, isto quando não morrem pelos maus tratos a que são submetidos no transporte. Sejam aves de cativeiro ou fruto de capturas irregulares, todas estão condenadas ao cárcere cruel, tratadas como objetos de troca comercial e exposição.

Esta Petição tem como objetivo o desenvolvimento de um Projeto de Lei para a Câmara Municipal de São Paulo e solicita:

- A proibição da criação e captura de aves em cativeiro para fins comerciais;
- A proibição da venda de aves em pet shops, feiras, mercados e internet;
- A proibição do encarceramento de aves.  (entende-se como aves presas as que são mantidas a maior parte do tempo em gaiolas);
- O remanejo das aves que vivem hoje encarceradas para reinserção na  natureza quando possível ou para santuários onde elas possam ter uma vida livre, com outros animais da mesma especie em habitat semelhante ao natural.

O que muitas vezes as pessoas acreditam ser um belo canto vindo de pássaros confinados é, na verdade, um grito de dor, fruto do desejo humano pelo controle e pela comercialização da natureza.

Na natureza, as aves costumam viver harmonicamente em grupos e muitas espécies são conhecidas por formarem casais monogâmicos que duram toda a vida. Além disso, esses seres têm um papel legítimo e importante nos ecossistemas onde habitam: são naturalmente responsáveis pela diversificação de plantas e árvores, pois carregam sementes por onde vão.

Ao serem impedidas de voar, caçar e ciscar as aves domésticas muitas vezes vivem solitárias, sem ver a luz natural do dia e são privadas de contribuírem com o ciclo natural da sua própria e de outras espécies.

Confinadas, as aves se tornam mais suscetíveis ao desenvolvimento de doenças que não seriam comuns em seu habitat natural, algumas delas causadas por stress, como a automutilação e a depressão, outras causadas por parasitas, devido à ma alimentação e ao encarceramento que mantém o animal o tempo todo em contato com fezes, poeira e poluição. Essas condições ainda causam alergias, problemas de pele (como os causados por fungos), infestações por piolhos e parasitas intestinais.

Esse hobby humano de encarcerar animais para "apreciar" sua beleza é um ato sádico e cruel, pois os mantém longe da real beleza e de seus ciclos naturais, encurtam o tempo e precarizam a qualidade de vida. As diversas doenças, que podem ser de origem fúngica, viral ou bacteriana, ligadas à criação de aves em cativeiro também podem ser transmitidas a nós, seres humanos.

Segundo um artigo científico publicado pela UFMG, "devido ao maior contato dos animais domésticos e silvestres com o ser humano, a possibilidade da transmissão de patógenos bacterianos zoonóticos ao homem aumentou significativamente. [...] Dentre esses animais, podemos destacar as aves, tanto as criadas em um sistema que vise à produção de carne e ovos quanto as de cativeiro. Esses animais podem ser portadores ou reservatórios de zoonoses com grande impacto na saúde pública."

As principais zoonoses que podem ser transmitidas de aves confinadas para humanos são:

Ornitose - Também chamada de psitacose, é uma das principais doenças infecciosas transmitidas pelas aves domésticas e altamente contagiosa. É causada por uma bactéria, a Chlamydia psittaci. Qualquer pássaro pode portar o agente infeccioso em suas penas, tecidos e secreções, podendo ser transmitida por qualquer espécie doméstica de ave: periquitos, araras e até mesmo galinhas, entre outras aves e pode ser contagiosa também para pessoas e mamíferos domésticos. Os sintomas da doença nas aves são ventre volumoso, falta de apetite, secreção esverdeada e problemas respiratórios.

Criptococose e Histoplasmoses - Causadas por fungos presentes principalmente em solos contaminados por excremento de aves. Podem também ser transmitidas para outros animais domésticos, como o gato e cachorro. O contágio ocorre quando o fungo é inalado, o que acaba resultando em uma infecção primária do sistema respiratório e causa um quadro de pneumonia atípico e crônico. Exige tratamento médico, normalmente de longa duração.

Tuberculose aviária - A tuberculose é uma zoonose que é transmitida da ave para a pessoa por meio do contato direto, uma vez que  ocorre por meio de secreções e fezes. Seus sintomas costumam ser inespecíficos, mas alguns pontos merecem atenção: tosse que permanece por mais de três semanas, cansaço excessivo, rouquidão, perda de peso e dores no peito. O tratamento da tuberculose se dá pelo uso de antibióticos que se extende por, no mínimo, seis meses. Vale ressaltar que o processo não pode ser interrompido, pois a bactéria pode criar resistência à medicação e atacar de maneira ainda mais agressiva o sistema imunológico.

Gripe aviária - Um grande perigo que já assustou o mundo é a gripe aviária, causada pelo vírus da gripe H5N1. É transmitido das aves, principalmente frangos e aves domésticas criadas em cativeiro, para os seres humanos. Algo que chama muito a atenção nesta enfermidade é sua taxa de letalidade: mais de 50% das pessoas contaminadas morreram.  A grande maioria dos casos de zoonoses transmitidas de aves para humanos têm relação com o manejo inadequado no criatório ou mesmo no estabelecimento comercial onde ela foi adquirida.

A proibição da venda e do confinamento de aves em gaiolas, além de ser uma questão ética e moral, é também uma questão de saúde pública. Precisamos nos conscientizar e conversar sobre isso com os nossos próximos.

A legislação brasileira proíbe a captura e a manutenção em cativeiro de pássaros da fauna silvestre, mas legaliza a criação e a comercialização de dezenas de espécies da fauna nativa, nascidas em cativeiro e de espécies exóticas. Essa é mais uma questão em que a legalidade está longe da ética, da moralidade e do bom senso, favorecendo grupos que só visam o lucro em detrimento de vidas indefesas, privando esses animais de uma vida digna e colocando em risco a saúde pública.

Assine a petição e nos ajude a PROIBIR o encarceramento de aves! Compartilhe essa causa pela natureza.


Referências bibliográficas:

https://myanimals.com/pt/doencas-de-aves-em-cativeiro-saiba-mais/

http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-59072007000400012

http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/veterinaria/article/download/2082/2708

https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-02062008-102715/publico/thais_caroline_sanches.pdf

https://anda.jusbrasil.com.br/noticias/140330284/conjunto-nacional-recebe-instalacao-de-arte-contra-o-confinamento-de-passaros

https://polinseto.com.br/dedetizacao-para-doencas-dos-passaros/

https://www.passeidireto.com/arquivo/2008158/doencas-aves-ornamentais