Suicídio ou Homicídio...? Ele matou minha filha...!!!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


"Preciso que o mundo saiba, que o país o qual pertenço, me vê como um número no índice do IBGE, e minha filha como estatística de "MAIS UMA MULHER" assassinada pelo companheiro, vítima de crime de FEMINICÍDIO".

Grito por justiça, mais sem voz, sem visíbilidade, sem poderes e sem fazer parte da burguesia.
Pobre e sem sobrenome importante, em meio a elite.
Me deparo com o descaso, e vejo tudo caindo no esquecimento, como tantos outros casos.


Inadmissível aceitar um homem espancar uma mulher, e a jogar da janela do 10 andar, com aproximados 50 metros de altura, e saia pela porta da frente de uma delegacia.

Inaceitável o agressor e assassino, ainda estar em liberdade, com família constituida e pai de uma menina.
Um descaso da justiça brasileira, mediante graves falhas. Uma investigação mal conduzida pelos órgãos competentes, sem explicações plausíveis, sobre a situação atual do inquérito/ processo.

O abandono de um judiciário inábil, incompetente e permissivo, a manter mais um algoz "CRIMINOSO IMPUNI".

"Conflito entre Promotores"

Prejudica a conclusão e apresentação da denúncia ao MP.
O primeiro Promotor ao receber a denúncia, deu seu "LAMENTÁVEL" parecer sobre o caso, conclui ter ocorrido somente uma BRIGA DE CASAL.
Os autos foram reencaminhados à vara da familia, como mais um caso de violência doméstica.
Mas, esta desastrosa conclusão, dada de uma analise machista, e a INABILIDADE de um Promotor de Justiça, atrasa mais ainda a conclusão deste caso.
Já na vara da família, em meio a outros casos de violência doméstica, uma Promotora, após uma análise do processo, concluí e ressalta inúmeras indicativas que podem ter motivado as agressões e o homicídio: elementos, em que existe uma confissão, às violentas agressões, motivadas por msgns eletronicas, testemunhas que dizem ter ouvido gritos e pedidos de socorro, testemunha que passava pelo local é surpreendido com os gritos de socorro da vítima ainda em queda livre, presenciou o corpo tocar ao solo, em postura de defesa, tentando se proteger da queda.

A Promotora por sua vez recusa e contesta o recebimento do caso na referida vara, pois na dúvida o caso deve ser levado a Júri sim.
O processo foi encaminhado para a Procuradoria Geral de Justiça (PGJ). Após análise, foi tido como resposta a denúncia de Rodrigo Honorato de Souza incurso no artigo 121, na data do dia 25/09/2015, feito pedido para que este seja julgado e condenado perante o Egrégio do Júri de São Paulo.


Permanecemos aguardando novos acontecimentos, estamos nas mãos da Justiça Brasileira, que é extremamente morosa.

No MP, o caso ainda não  tem nenhum dado novo, mudança ou movimentação.
E infelizmente o "ALGOZ" vive como se a justiça tivesse lhe absolvido do "crime".
Esfrega na cara da sociedade que um homem tem carta branca para:

"ESPANCAR UMA MULHER DURANTE 3 HORAS SEGUIDAS, TENDO POR FIM SUA MORTE, É NORMAL E PODE, POIS TRATA‐SE DE UMA MERA BRIGA DE CASAL".


A banalização da morte se tornou algo normal.
Ficamos nas mãos da Procuradoria Geral de Justiça, que fica emcubida de analisar o parecer de ambos os promotores, e torcemos para que o caso possa ser encaminhado à Júri popular, e o rapaz possa ser julgado e condenado, conforme a gravidade do seu crime.
...


https://www.facebook.com/DebyMedinaPires/

http://noticias.r7.com/cidade‐alerta/videos/suspeito‐de‐jogar‐namorada‐da‐janela‐responde‐em‐liberdade‐06022017



Hoje: Fernanda está contando com você!

Fernanda Medina Pires precisa do seu apoio na petição «Comissão Interamericana de Direitos Humanos : Suicídio ou Homicídio...? Ele matou minha filha...!!!». Junte-se agora a Fernanda e mais 356 apoiadores.