Carta Pública - Movimento Viva Cidade Baixa

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Carta Pública

Em razão das recentes notícias a respeito da recomendação do Ministério Público do Rio Grande do Sul para que a Prefeitura Municipal de Porto Alegre limite o funcionamento dos bares e demais estabelecimentos comerciais do bairro Cidade Baixa, para até a meia-noite, nós, moradores/as e amigos/as do bairro Cidade Baixa em Porto Alegre tecemos as seguintes colocações:


1. O bairro Cidade Baixa é um bairro que respeita e promove a diversidade, e possui vocação para o turismo e para vida noturna. O bairro tem, desde a sua origem, uma relação próxima com a cultura, sendo o berço do carnaval de Porto Alegre, e moradia de vários grupos sociais, que vão desde estudantes universitários, professores, artistas, intelectuais, entre outros. Além disso, grande parte da sua economia, e atrativos, gira em torno das atividades desenvolvidas por hotéis, bares, restaurantes, casas noturnas, e festas populares, que dinamizam a economia local e fomentam a cultura. Portanto, o perfil do bairro é bem conhecido e renomado, assim como seu de funcionamento, com sua grande movimentação noturna.

2. A limitação no funcionamento dos bares e boates, até o momento, tem provocado efeitos contrários ao pretendido pelas autoridades, obrigando os consumidores a ir para as ruas depois do fechamento dos bares e outros estabelecimentos, aumentando o ruído. A limitação de horário, portanto, deve ser avaliada com cautela e com diálogo.

3. As autoridades têm que cumprir com seu dever de fiscalização das ruas e avenidas do bairro, prevenindo e evitando abusos quanto ao ruído, ao trânsito, circulação de pessoas e o acúmulo de lixo.

4. Deve ser levado em conta que a grande circulação de pessoas pelo bairro no período da noite traz segurança ao bairro, ainda mais em períodos de escasso policiamento.

5. Ademais, os estabelecimentos comerciais precisam assumir sua responsabilidade com o bairro que os acolhe, contribuindo com a limpeza das ruas, segurança e infraestrutura. Precisamos ampliar o diálogo entre os moradores e os estabelecimentos comerciais.

6. Entendemos que o bairro Cidade Baixa não é propriedade de alguns, mas a construção coletiva de moradores, frequentadores, empreendedores, trabalhadores, visitantes, turistas, artistas, grupos que trazem sua livre expressão e a sua história cultural e boêmia se fundem com a própria identidade histórica da cidade de Porto Alegre, transcendendo seus limites territoriais.

7. Por fim, em razão das questões expostas acima, os signatários resolvem constituir o Movimento Viva Cidade Baixa que visa articular ações para a melhoraria da vida no bairro, que possui outras demandas que estão sendo preteridas, em nome de um confronto desnecessário com o comércio local."
Porto Alegre, 24 de agosto de 2017.
Ana Paula Coelho
Ana Paula Saldanha Dutra
Ana Paula Santos dos Santos
Beatriz Brutto
Bernardo da Silva Muller
Bernardo Schirmer Muratt
Bianca Benevenuto
Cesar Burigo
Daniel Leite
Edgar Vagner da Silva Moraes
Everton Bornholdt
Ewelin Canizares
Fernando Ungaretti
Fernando Valadares
Gilceu Ribas de Campos
Gilmar Pauli
Guilherme Kern Assunção
Gustavo Bernardes
Hélio Azambuja
Isadora Teresa França Pereira
Isidoro Reses
Ivana Bernardes
Jackson Raymundo
Joel Leal
Jorge Nunes
José Marcos Guimarães
Laila Poletto
Leandro Bortoli
Leticia Gerling
Luciana Fagundes
Luciano Ribeiro Pires
Maria Clara Bassin
Odair Borges
Paulo de Tarso Carneiro
Priscila Leote
Roberto Balda
Rosa Beltrame
Taís Soares Rodrigues
Tamiris Gaelzer
Vinicius Costa Lima
Vinícius Millidiu



Hoje: Fernando está contando com você!

Fernando Cruz Ungaretti da Silva precisa do seu apoio na petição «Cidade Baixa: Carta Pública - Movimento Viva Cidade Baixa». Junte-se agora a Fernando e mais 4.895 apoiadores.