Um basta nos fogos de artifício com ruído na Paraíba!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 500!


O Coletivo Veganismo Paraiba requere apartir deste documento, a Assembleia Legislativa da Paraíba, em prol da proibição do uso de fogos de artifício com ruído.

Segundo pesquisa realizada nas festividades juninas, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), uma das principais sequelas da queima de fogos de artifício é a perda de audição, podendo atingir as pessoas que estão ao redor.

Para as pessoas com deficiência, idosos, enfermos e crianças, os fogos geram pânico e, com isto podem culminar em complicações de saúde para estes grupos de risco. Para as pessoas com autismo, a situação se intensifica, com capacidade de traumatizar estas pessoas.

Para os cachorros, em especial os de rua, são desencadeadas respostas imunológicas de estresse, resultando em aumento da frequência cardíaca, vasoconstrição periférica, dilatação da pupila, piloereção e alterações no metabolismo da glicose.

Sendo assim a queima de fogos desobedece o art. 227 da Constituição Estadual da Paraíba. No qual consta:
“O meio ambiente é do uso comum do povo e essencial à qualidade de vida, sendo dever do Estado defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”

Assim como contrária o art. 249 da Constituição Estadual da Paraíba. Na qual consta
“O Estado, o Município e a sociedade têm o dever de amparar as pessoas idosas, com política e programas que assegurem a sua participação na comunidade e defendam sua dignidade, saúde e bem - estar.”

Também descumprindo o inciso V do art. 252 da Constituição Estadual da Paraíba. No qual consta:
“garantir, em todos os níveis, a formação de recursos humanos especializados no
tratamento, na assistência e na educação dos portadores de deficiência”

Contudo, deve se findar o abominável, excludente e cruel manuseio e comércio de fogos de artifício com ruído, os quais se proliferam causando terror neste período eleitoral, assim como se faz presente em festas juninas, sendo assim, são meses de pânico que devem cessar no estado paraibano.