Revogar a lei 225/08 contra os APBT em Jaboatão dos Guararapes

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Após o caso ocorrido no dia 22 de novembro em um restaurante praiano no município de Jaboatão dos Guararapes, na qual um garoto, tristemente, tomou uma mordida de um cão da raça APBT (American Pit Bull Terrier), que se soltou dos fundos desse restaurante, foi relembrada a lei 225/08 do município de Jaboatão dos Guararapes - PE que versa sobre a proibição da circulação de cães da raça APBT e partes dela com definições infundadas, considerando, sem base científica, cães de médio/grande porte como "ferozes":

  • Art 2. Outras raças de cães ferozes de médio e grande porte, só poderão circular pelo Município com os devidos equipamentos de segurança que são: corrente resistente para o animal, estrangulador e focinheira, todos em ótimo estado de conservação para que possa evitar quaisquer ataques surpresos a transeuntes que circulam normalmente pelos diversos bairros do Município do Jaboatão dos Guararapes. 

Não só é sabido, tanto pelos tutores de cães como American Bully, Bull Terrier, Bulls em geral, quanto pela medicina veterinária, que tais pets possuem características dóceis como qualquer outro cão de pequeno porte pode apresentar, e o que traz à tona tal lei é mais um preconceito pelo porte e aparência de sua raça, do que por acontecimentos fatídicos. O que deveria ser observado seria a obrigatoriedade do tutor e seu cão serem adestrados e retirar a responsabilidade de tais comportamentos negativos isolados que alguns pets apresentam por não possuírem adestramento pela falta de responsabilidade de seu tutor.

A lei 225/08 do município de Jaboatão dos Guararapes mostra-se como mais uma lei com características discriminatórias e sem embasamento científico para julgar qual cão é ou não feroz, observando apenas pela sua aparência e esquecendo que todo cão, seja pequeno ou grande, possui dependência de suas atitudes embasadas de como seu tutor o cria.