CAMPANHA AMOR PELA VIDA NO MARAJÓ

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


Vimos através deste, solicitar apoio da população, em especial que reside nos municípios de Anajás, Bagre, Breves, Curralinho, Gurupá, Melgaço e Portel, localizados na Ilha do Marajó/PA e vinculados ao 8° Centro Regional de Saúde da Secretaria de Saúde do Estado do Pará – SESPA, para que, unidos, possamos cobrar providências do poder público estadual (Governador e deputados); dos Governos Municipais (Prefeitos e Vereadores dos municípios supracitados), bem como do Ministério Público do Estado do Pará, a urgente implantação de serviço que permita a realização do tratamento de hemodiálise no Hospital Regional Público do Marajó - HRPM, que é referência no atendimento de casos de média e alta complexidade da população dos 07 municípios listados. Tendo em vista que a falta do referido tratamento tem representado a diferença entre a vida e a morte para muitas pessoas, particularmente no contexto de uma pandemia de Corona vírus/Covid-19 sem precedentes e que, conforme apontam pesquisas recentes, uma das principais complicações que acomete os pacientes em tratamento dessa doença é a insuficiência renal, complicação esta que, combinada com a falta de oferta do tratamento de hemodiálise no HRPM, tem levado a óbito pessoas tão queridas e de notório destaque na sociedade. É absolutamente inaceitável que um hospital de referência na região do Marajó, administrado por uma Organização Social de Saúde denominada Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano – INDSH, inaugurado no dia 25/09/2010, portanto, em funcionamento há quase 10 (dez) anos na cidade de Breves-PA, não ofereça a essa população que reside em municípios conhecidos nacionalmente por serem possuidores dos piores Índices de Desenvolvimento Humano – IDH do Brasil, serviço de hemodiálise, tratamento esse indispensável aos pacientes portadores de insuficiência renal parcial ou crônica. Diante dessa breve exposição de motivos, vimos reafirmar a urgente necessidade de nos mobilizarmos enquanto sociedade, na busca de se fazer garantir a efetivação de um dos direitos sociais fundamentais que é o direito à saúde. Deixamos aqui, nossos sinceros agradecimentos àqueles que puderem contribuir para o sucesso deste importante instrumento de mobilização social.