Estupro culposo não existe! Todo estrupador merece ir pra cadeia!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!


 

CASO MARIANA FERRER 

Dois meses após o fim do julgamento do empresário André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a jovem promoter catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos, durante uma festa em 2018, o assunto voltou a revoltar a internet devido a uma série de imagens inéditas divulgadas pelo The Intercept nesta terça

Na sentença, o juiz teria concluído não haver provas suficientes para a condenação e usou a dúvida a favor do réu.

 

O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, aceitou o argumento de que André de Camargo Aranha, filho do advogado Luiz de Camargo Aranha Neto, cometeu “estupro culposo”, um “crime” não previsto por lei, e foi absolvido.

 

A repercussão do caso chocou mais uma vez e causou revolta nas redes sociais e levando a hashtag #JustiçaPorMariFerrer aos trend topics do Twitter. 

 

"O crime não é previsto por lei e a sentença abre mais um precedente na história da violência contra as mulheres", segundo apontou o Instituto Marielle Franco.

 

"Como se já não bastasse a violência do ato, Mariana foi submetida a outra violência, sendo exposta, agredida, humilhada em seu julgamento. O advogado do estuprador, Cláudio Gastão da Rosa Filho, expôs suas imagens e as definiu como 'ginecológicas'. Mais um capítulo brutal da cultura do estupro que violenta todo o tempo e em todas as esferas as mulheres. Não iremos aceitar!", diz o post do Instituto que luta por justiça da vereadora assassinada em 2018.

 

"Mais um capítulo brutal da cultura do estupro que violenta todo o tempo e em todas as esferas as mulheres. Pedimos #JustiçaPorMariFerrer!".