MANIFESTO _ A DEMOCRACIA CORROMPIDA

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 2.500!


Este Manifesto surgiu da preocupação de diretores, atores, técnicos com os graves riscos que a Democracia Brasileira está enfrentando frente à judicialização da política, o desrespeito à Constituição de 1988 e o crescimento de movimentos e manifestações autoritárias, violentas e intolerantes. Ele é um chamamento aos democratas para que se manifestem contra qualquer declaração ou ato que ameace a democracia e reafirma as conquistas da Constituição Cidadã de 1988.

                                        

                                      A DEMOCRACIA CORROMPIDA


Sim, vivemos no país da corrupção. Pois, corrompidas estão a nossa sociedade e o seu sentimento de solidariedade, nossa tolerância com as diferenças e a esperança de nos tornarmos uma nação mais justa e de oportunidades iguais para todos.

Corrompido está o Estado Brasileiro, quando as instituições e as leis republicanas são relegadas, dando lugar a decisões arbitrárias na luta selvagem pelo poder e manutenção de privilégios.

Corrupção é a usurpação não somente de bens materiais, mas também do patrimônio imaterial e dos direitos consagrados na Constituição Cidadã de 1988.

Em nossa democracia corrompida, reina a barbárie por meio da violência física e simbólica contra negros, índios, mulheres, LGBTs, idosos e crianças, notadamente, os mais pobres.

Em nossa democracia corrompida, políticos e empresários corruptos parecem desejar a volta do trabalho escravo e latifundiários expulsam camponeses, chacinam índios e lideranças dos movimentos sociais.

Em nossa democracia corrompida, as mineradoras impunes arruínam rios e cidades enquanto setores do agronegócio avançam sobre as nossas florestas, envenenando a terra e a água com agrotóxicos condenados e causadores de doenças fatais.

Em nossa democracia corrompida, o combate contra a corrupção empreendido pela Lava-Jato se transformou em instrumento de ação política para penalizar alguns em detrimento de outros. Hoje é patente que o julgamento e a prisão açodada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornou o objetivo primeiro dessa operação que visa retirar do pleito presidencial o candidato preferido nas pesquisas de opinião.

O processo que o condenou é tido por muitos juristas nacionais e internacionais como uma farsa e representa um grave perigo de ruptura da legalidade. O Poder Judiciário hoje julga, prende e liberta de forma seletiva e partidária, dramatiza as suas ações na mídia e ignora a Constituição, ao judicializar a política fazendo desta um caso de polícia.

Hoje reina a confusão entre os poderes da República, fragilizando a democracia brasileira que se submete a pressões de todos os tipos, inclusive de militares e setores autoritários que ameaçam as eleições presidenciais.

Como trabalhadores da cultura não podemos enxergar o cinema desligado da vida e da consciência, nem nos interessa uma estética sem ética. Para nós, o cinema deve ser, sobretudo, uma celebração da liberdade e da vida, sem preconceitos e sem ódios. O cinema é a linguagem de transformação das pessoas através do exercício do lúdico, da criatividade, da emoção e do pensamento.

Como cidadãos e profissionais da área artística e cultural, queremos liberdade, justiça e cidadania plenas e nos colocamos contra a barbárie que no Brasil se instalou, como em um filme de horror.

POR ISSO, CONCLAMAMOS A TODOS QUE SE UNAM EM DEFESA DAS LIBERDADES DEMOCRÁTICAS E DA CARTA MAGNA DE 1988.

 

Assinam:

Rosemberg Cariry -cineasta

Roberto Gervitz - cineasta

Murilo Salles - cineasta

Lucia Murat - cineasta

Toni Venturi – cineasta

Luiz Carlos Barreto – produtor de cinema

Marieta Severo - atriz

Bete Mendes – atriz

Andrea Beltrao - atriz

Rui Guerra - cineasta

Lais Bodanzky -cineasta

Walter Lima Jr -cineasta

Daniel de Oliveira – ator

Matheus Natchergaele - ator

Chico Diaz – ator

Sérgio Machado – cineasta

Ana Maria Magalhães - atriz e cineasta

Caco Ciocler – ator

Maria de Medeiros – atriz (Portugal)

Debora Bloch - atriz

Lucelia Santos - atriz

Jeferson De - cineasta

Jorge Duran – cineasta

Eliana Caffé - cineasta

Milhem Cortaz – ator

Beto Brant – cineasta

Cláudio Assis - cineasta

Letícia Sabatella - atriz

Antonio Pitanga - ator

Enrique Diaz - ator

Thiago Mendonça – ator

Werner Schunemann – ator

Vicente Amorim - cineasta

Vania Catani - produtora

Marco Ricca - ator

Aderbal Freire Filho - ator e diretor de teatro

Silvia Buarque - atriz

Tuca Andrada – ator

Pedro Farkas – diretor de fotografia

Paulo Caldas - cineasta

Monique Gardenberg – cineasta

Marcelo Gomes – cineasta

Marcos Breda - ator

Luiz Carlos Lacerda - cineasta

Liliana Sulzbach –cineasta

Lina Chamie - cineasta

Lírio Ferreira - cineasta

Eunice Gutman - cineasta

Maeve Jinkings - atriz

José Joffily - cineasta

Hilton Lacerda, cineasta e roteirista

José Roberto Eliezer – Dir. de fotografia

Lucio Kodato - Dir. de Fotografia

José Roberto Torero – roteirista

Guta Stresser – atriz

Daniel Ribeiro – cineasta

Débora Duboc – atriz

Hermano Penna - cineasta

Camilo Cavalcante -  cineasta

Ana Luiza Azevedo - cineasta

Alain Fresnot - cineasta

Rubens Rewald – cineasta e professor

Claudio Kahns – cineasta

Cristina Pereira – atriz

Antonio Fragoso – ator

Antonio Grassi – ator

Daniel Dantas – ator

Aurelio Michiles -cineasta

Caco Monteiro - ator e cineasta

Giba Assis Brasil - montador de cinema

Edgar Navarro - cineasta

Tadeu de Pietro - ator

Eduardo Valente - cineasta e curador

Vera Egito – roteirista e diretora

Pola Ribeiro – cineasta

Zeca Pires – cineasta

Helena Tassara - cineasta

José Araripe - cineasta

Inez Viana - atriz e diretora teatral

Janaina Diniz Guerra - atriz

José Frazão – cineasta

Henrique Dantas - cineasta

Pascoal da Conceição – ator

Karen Harley - montadora de cinema

Petrus Cariry – cineasta

Denise Moraes - cineasta

Renato Tapajós – cineasta

Sofia Frederico - cineasta e jornalista

Guilherme Fiuza Zenha - diretor e produtor

Solange Lima – produtora

José Geraldo Couto - crítico de Cinema

Maria do Rosário Caetano – jornalista e pesquisadora de cinema

Carlos Alberto Mattos - jornalista e escritor

Vannessa Gerbelli – atriz

Taciano Valério - cineasta

Diana Almeida – produtora de cinema

Tatiana Salem Levy – roteirista e escritora

Daniela Broitman - cineasta

Amauri Tangará – cineasta

Ernesto Piccolo - diretor de teatro e ator

Rafael Ponzi – ator

Everaldo Pontes - ator

Frederico Machado – cineasta e distribuidor

Rodrigo Siqueira Arejeju - cineasta

Bárbara Cariry - produtora e cineasta

Gisela Câmera - produtora

Margarita Hernandez - cineasta

Cassiano Carneiro - ator

Marcelo Laffitte - cineasta

Antonio Galindo - produtor

Cristina Aché – atriz

Paola Vieira - cineasta

Daniela Vitorino - produtora

Alan Minas - roteirista e diretor

José Barahona - cineasta

Cesar Cavalcanti - diretor de cinema e produtor

Antonio Venâncio - pesquisador de cinema

Bia Salgado - figurinista

Marco Aurélio Ribeiro - cineasta

Firmino Holanda - cineasta, roteirista e historiador

Moacir Chaves - diretor de teatro

Luciana Sérvulo da Cunha – documentarista

João Godoy - técnico de som direto

Claudia Alencar - atriz

Sabrina Fidalgo - cineasta

Lula Oliveira - produtor e diretor

Tati Mendes - produtora

Tilani Nascimento - cineasta

Amanda Lima - cineasta e produtora

Ilário Lima – produtor

Tito Almejeiras – cineasta e ator

Carla Francine - Produtora

Tetê Moraes - Cineasta

Alana Ribeiro - Produtora

Stela Grisotti - Roteirista

Orlando Senna - Cineasta

Marcos Manhães Marins - Cineastas

 

 

 



Hoje: Roberto está contando com você!

Roberto Gervitz precisa do seu apoio na petição «Sociedade Civil Brasileira: MANIFESTO _ A DEMOCRACIA CORROMPIDO». Junte-se agora a Roberto e mais 1.547 apoiadores.