CPI no Senado contra Sérgio Moro por mentir sobre tríplex do Gurarujá

CPI no Senado contra Sérgio Moro por mentir sobre tríplex do Gurarujá

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 7.500!


Ao Excelentíssimo Senhor Senador e

 Presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira,

Nós, abaixo-assinado, neste instrumento representando grande parcela do povo brasileiro, eleitores de Lula, inconformados com sua prisão arbitrária, sem base em provas legais comprovadas, mas apenas em delações e suposições, solicitamos a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apuração dos fatos registrados nas imagens feitas por membros do MTST dentro do famoso tríplex do Guarujá, no último dia 16 de abril, que circulam na internet pelo mundo afora.

Tais imagens foram suficientes para desmascarar completamente as acusações feitas em processo que culminaram com a condenação do ex-presidente, sob a acusação de recebimento de propina da construtora OAS corporificada na disponibilização do famoso tríplex do Guarujá. Estima o MPF os valores da vantagem indevida em cerca de R$ 2.424.991,00, assim discriminada, R$ 1.147.770,00 correspondente à diferença entre o valor pago e o preço do apartamento entregue e R$ 1.277.221,00 em reformas e na aquisição de bens para o apartamento.

Os excessos cometidos no processo pelos acusadores, como a falta apresentação de extratos bancários que demonstrem tais movimentações ou escritura de posse do imóvel, e o desprezo pelas provas em contrário, como a comprovação da desistência de Dona Marisa da cota na Bancoop para o tríplex, tornam a perseguição ao ex-presidente ainda mais claras.  Ou seja, condenaram-no por um ato que ainda poderia cometer, mas não cometeu, porque não aceitou o tal imóvel.

Além disso, as imagens feitas pelo MTST mostram que o luxuoso tríplex, considerado pelos acusadores como de valor milionário, assim como as reformas alegada, nunca existiram. Trata-se de um modesto apartamento com escadas caracol simples, com estimativa de preço supervalorizada, com o intuito de simplesmente condenar um inocente, sem provas.

Pelos motivos expostos, solicitamos a Vossa Excelência que abra uma Comissão Parlamentar de Inquérito e, com base, nas apurações, procedam à punição dos responsáveis pelas falsas acusações contidas no processo, neste caso, os membros do MPF (Ministério Público Federal) e do juiz que acatou as denúncias, o juiz federal responsável pelo TRF-4, com sede em Curitiba, SÉRGIO FERNANDO MORO.

Subscrevemo-nos,

Atenciosamente,

O POVO BRASILEIRO,

Abaixo-assinado: