CEB Pública

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 7.500!


VAMOS DIZER **NÃO** A PRIVATIZAÇÃO!

"A privatização da viola um princípio constitucional conquistado com muita luta pelos movimentos dos trabalhadores: o de que esses serviços são responsabilidades do Estado. Tratam-se de direitos sociais que devem receber altos investimentos públicos para atender adequadamente a população. Os defensores da privatização querem transformar esses direitos sociais em bens de consumo, em mercadoria, para serem vendidas sob as regras do mercado, e promovendo lucros para os empresários que investirem nisso.

Esta é uma grande demonstração de como a privatização significa um retrocesso. Mas, além disso, a privatização piora esses serviços. Ao invés de resolver os problemas de oferta e qualidade do serviço, como propagandeiam os “gestores” e governantes privatistas, a transferência desses serviços para a iniciativa privada piora a qualidade dos serviços e submete a população a altos preços e menos condições de segurança.

Para compreender as consequências da privatização, basta entender a lógica de uma empresa. Os defensores da privatização dizem que a busca por lucro e produtividade fazem o serviço melhorar. Mas todo mundo sabe que para uma empresa manter e ampliar seus lucros, é necessário reduzir custos e ampliar a arrecadação. Como se faz isso em relação ao serviço do metrô? Aumentando a tarifa. Prova disso: metrô do Rio de Janeiro, privatizado em 1997, tem a tarifa mais cara do Brasil, e a Ceb do Goiás, que tem as contas de luz altíssimas.

Outra forma que as empresas buscam para aumentar seus lucros é através da redução de custos. Para isso, contratam o mínimo de funcionários possível e tentam diminuir ao máximo seus direitos trabalhistas. Não houve privatização no Brasil em que o quadro de funcionários não tenha reduzido drasticamente. Vale do Rio Doce, Telebrás, Embraer são empresas que foram privatizadas e reduziram em mais de 20% seu quadro de funcionários. Para isso, também contratam mão de obra menos qualificada. A consequência disso é um serviço de menos qualidade, com menos capacidade de atender a demanda."

•Cr: http://www.fenametro.org.br/noticias/por-que-privatizar-nao-e-a-solucao.html