Água é um bem público e não pode ser privatizada!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


A água é vital para a nossa vida. É um bem maior para todos, que garante a qualidade de vida da população. Por isso, é preciso garantir a água como um bem público.

Manter a água e o saneamento público é a garantia de levar qualidade de vida para todas as regiões do país, nas áreas mais ricas, mas também para as regiões mais carentes.

Enquanto no Brasil se discute privatizar a água, a tendência em diversas partes do mundo tem sido de retomar o controle deste bem para as mãos do Estado. Segundo estudos, são mais de 267 casos de “remunicipalização” ou reestatização, incluindo cidades importantes como Berlim, Paris, Budapeste, Bamako (Mali), Buenos Aires, Maputo (Moçambique) e La Paz. No geral, onde foi privatizado o serviço, foram constatados o aumento absurdo das tarifas e um serviço ineficiente.

A Medida Provisória 868/2018, que reedita praticamente, na íntegra, a MP 844, que altera o marco legal do saneamento, é mais uma tentativa de privatizar o saneamento brasileiro, entregando nossas riquezas para o setor privado.

Privatizar o saneamento básico irá prejudicar o subsídio cruzado e a tarifa social. No Rio de Janeiro, a Cedae, por ser uma empresa pública, arrecada nas regiões mais ricas e esse recurso é utilizado para fazer investimentos nas regiões mais pobres, mas isso acabaria com a privatização da empresa.

No entanto, a Cedae pública sofre ataques e com o desmonte da empresa, visando entregá-la ao setor privado. Mas vale lembra que em 2018, a Cedae foi eleita a melhor empresa do país em infra-estrutura (Revista Exame), além de gerar um lucro de milhões de reais para o Estado do Rio de Janeiro.

Portanto, só com a água e o saneamento público será possível garantir a saúde da população, com investimentos públicos e um serviço de qualidade. A água é um bem universal e deve continuar pública e para todos!

Queremos uma Cedae pública, estatal e indivisível, que leve água e saneamento para o povo do Rio de Janeiro.

Fontes:
https://www.bbc.com/portuguese/brasil-40379053
http://www.remunicipalisation.org/