Toronho, a (anti)Tabàrnia galega: referendo p/ sua constituiçom em CA e reintegraçom em PT

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 100!


Exmo. Senhor António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal,
Exmo. Senhor Mariano Rajoy, Presidente do Governo de Espanha,

Os/As abaixo-assinantes, toronheses e toronhesas, com residência física e/ou psíquica nas terras de Toronho, vêm respeitosamente à presença de Vossas Excelências solicitar a convocatória dum referendo legal, patuado e com garantias a fim de que o povo toronhês poda decidir democraticamente a sua eventual constituiçom em Comunidade / Região Autónoma separada da Comunidade Autónoma de Galiza (CAGa) e a sua reintegraçom na sua pátria natural, Portugal.

Peró que c**** é Toronho? (devem estar a perguntar-se Vossas Excelências agora mesmo). E é que, após tantos séculos de escuridom e esquecemento, talvez seja necessária ũa breve explicaçom...

Com certeza os senhores têm ouvido falar em Tabàrnia, "nome proposto para um território da Comunidade Autónoma espanhola da Catalunha pela organização Barcelona is not Catalonia, que visa estabelecer como uma nova comunidade autônoma um conjunto de regiões das provincias de Tarragona e Barcelona" (pt.wikipédia.org/wiki/Tabarnia). Pois bem, Toronho é o mesmo mas completamente diferente e, além disso e a diferença da trapalhada essa de Tabàrnia, tem ũa base real. Aliás, realenga ;)

A Terra de Turonium (em romance, Toronho) é um antigo condado ou reguengo situado no Sudoeste da atual Comunidade Autónoma da Galiza (Reino de Espanha). Limita a Norte com o Rio Verdujo e a Ria de Vigo, a Sul com o Rio Minho, a Leste com o Rio Ávia (afluente do Minho) e a Oeste com o Oceano Atlântico.

A principal cidade e capital de Toronho é Vigo.

Toronho é a única regiom do Convento Bracarense que nom se sumou a Portugal no momento da sua independência (S. XII). Desde os alvores da nacionalidade, Portugal tentou corrigir esta anomalia histórica em diferentes ocasiões ao largo da nossa História (Guerra de Sucessom à Coroa de Castela (1475-1479), guerra da Restauração da Independência de Portugal (1640), Guerra de Sucessom Espanhola (1701-17013) ou Tratado de Madrid (1750)) sem obter nunca um sucesso duradoiro.

Mas, desta volta, somos os/as “portugueses/as” de aquém Minho (porque isso é o que somos e como tais ainda hoje nos identificam os de fora, sinaladamente os da Corunha) quem tomamos a iniciativa e promovemos esta campanha de recolha de assinaturas para emprazar Vossas Excelências a sentarem-se à mesa das negociações e chegarem a um acordo para a convocatória dum referendo legal, patuado (entre os dous Estados) e com garantias, em que os toronheses e as toronhesas podamos decidir (democraticamente, como mandam os tempos) o futuro político da nossa Terra.

Apesar das nossas preferências estarem bastante claras (visamos o imediato reconhecimento do nosso território como como Região Autónoma dentro da República Portuguesa, estatuto de que já desfrutam a Madeira ou os Açores), os/as abaixo-assinantes, imbuídos/as do mais alto espírito conciliador e democrático, subscrevemos a proposta do tenente Paio Curvo de Toronho e do seu Partido da Terra de Toronho (PTT) relativamente a pergunta e data:

  • A pergunta, dupla, seria a seguinte: “Quer que Toronho seja ũa Comunidade / Região Autônoma? SIM / NOM. Caso afirmativo, a que Estado peninsular quer que pertença a devandita Comunidade / Região Autónoma? República Portuguesa / Reino de Espanha.”
  • A data de celebraçom poderia adiar-se até 2030, ano em que se comemora o 9º centenário da primeira das várias conquistas e reconquistas de Toronho pola parte de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.

Esta seria, digamos, a nossa reivindicaçom principal. Mas, enquanto Vossas Excelências vam negociando e 2025 nom chega, aí lhes deixamos também estas outras reivindicações:

  • Que o R. C. Celta de Vigo jogue na Primeira Liga (Liga Portuguesa de Futebol);
  • Que o trem Celta (comboio Vigo-Porto) ofereça um serviço de primeira;
  • Que a viguesa Praça de Espanha (a d'Os Cavalos) passe a chamar-se Praça de Toronho (ou Praça do Curro de Torronha, se nom);
  • Que em televisom e rádio digam “menos ũa hora em Toronho”, como em Portugal;
  • Que nas piscinas públicas haja toalhas (portuguesas) grátis. Como na Islândia!

Certos/as de podermos contar com a compreensom e providências de Vossas Excelências, subscrevemos e assinamos esta petiçom pública, agradecendo antecipadamente pola atençom dispensada às nossas justas reivindicações.



Hoje: Paio está contando com você!

Paio Curvo de Toronho precisa do seu apoio na petição «Toronho, a (anti)Tabàrnia galega: referendo para a sua constituiçom em Comunidade/Região Autónoma e reintegraçom em Portugal». Junte-se agora a Paio e mais 45 apoiadores.