Topic

imigração

6 petitions

This petition won 9 months ago

Petition to Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ONU (Organização das Nações Unidas), Assessoria de imprensa da ONU, Presidente da República, Michel Temer, Ministro da Justiça, Osmar José Serraglio, Presidente do Senado, Eunício Lopes de Oliveira, Gabinete da Secretaria de Governo da Presidência, Gabinete da Presidência da República, Palácio do Planalto, Secretaria de Governo, Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), Ministério da Justiça - departamento de Imigração, CONARE , Polícia Federal, Assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, Superintendente da Polícia Federal, Leandro Daiello, Diretoria-Executiva da Polícia Federal, Assessoria Internacional do Ministério da Justiça, Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos, Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA, Representação brasileira na OEA, Secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), Luis Almagro

O governo de Cuba ameaçou minha vida. Assine para que eu possa viver em paz!

Meu nome é Maria Illeana Iglesias, tenho 53 anos e sou cubana. Sou historiadora, mestre em antropologia e fui professora da Universidade de Havana. As forças do regime de Fidel Castro me ameaçaram de morte pelas minhas posições políticas, e por isso vim ao Brasil, para salvar minha vida.A polícia política de Cuba foi clara: eles me deixariam em uma cadeira de rodas se eu continuasse no país. Fui perseguida, recebi ameaças de morte, meu ex-marido foi demitido, minha casa foi invadida e meus objetos pessoais foram furtados. Para sobreviver, tive que sair de Cuba.Deixei minha mãe para trás com o coração apertado, e cheguei a São Paulo em 2013. Faz 4 anos que estou lutando para recomeçar a vida, mas o governo brasileiro não reconheceu minha condição de refugiada até hoje. Isso me impede de trabalhar, de ter um lar e de ter paz.Peço sua ajuda assinando e divulgando este abaixo-assinado, para que o governo brasileiro, através do Conselho Nacional de Refugiados (CONARE) entregue meus documentos de refugiada. Se isso não acontecer, eu nunca mais vou poder rever minha mãe, nem minha família, nem viver em paz no Brasil.Dar apoio a esta petição não é uma questão de ser a favor ou contra o regime político de Cuba, ser de esquerda ou de direita. Essa é uma questão humanitária, e se você se importa com os seres humanos, você pode ajudar facilmente - basta assinar.Peço que a ONU (Organização das Nações Unidas) faça um apelo ao governo brasileiro, para que minha condição de refugiada seja reconhecida. Minha mãe é uma idosa, e ficou abalada em toda a perseguição que eu sofri. Ela ainda está em Cuba, e eu tenho medo pela vida dela. Se minha condição de refugiada for reconhecida, terei muito mais condições de ajudá-la. Com os papéis de refugiada, poderei trabalhar e usar o dinheiro para pagar tratamentos de saúde que ela precise, por exemplo. Peço ao presidente Michel Temer, ao ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, e demais autoridades que reconheçam minha condição de refugiada. Só quero recuperar minha dignidade, avançar com meu trabalho e meus estudos, e ajudar a construir uma sociedade mais justa.

Maria Iglesias, com o projeto Vidas Refugiadas
14,640 supporters
This petition won 5 years ago

Petition to FDA (agência de remédios e alimentos dos EUA)

Adote medidas para acelerar a pesquisa de remédios e vacinas para tratar a febre hemorrágica do Ebola

Uma epidemia regional de febre hemorrágica causada pelo vírus Ebola está atingindo países como Serra Leoa, Libéria e Guiné, na África. Além do impacto devastador nas pessoas comuns e nos médicos e enfermeiros que enfrentam a doença, os prejuízos econômicos nestes países são estimados em bilhões de dólares. Particularmente em Serra Leoa, a região mais afetada pelo Ebola é a principal área agrícola do país. Famílias não conseguem colher as plantações e vender seus produtos porque muitas vezes os adultos morreram com a doença. A febre hemorrágica causada pelo Ebola atualmente não tem cura. Mas muitas vacinas e remédios estão em fase de desenvolvimento. Um dos mais promissores é o medicamento TKM-Ebola produzido pela Tekmira Pharmaceuticals. O remédio mostrou-se efetivo para destruir o vírus em primatas, e novos testes clínicos para garantir que ele é seguro para seres humanos estão sendo realizados desde o começo do ano. Em julho, a FDA (agência que regula os setores de remédios e alimentos nos EUA) congelou os testes, apesar de 14 voluntários já terem recebido o remédio e mostrado tolerância a ele. Levando em conta que pelo menos uma vítima levou a doença da Libéria para a Nigéria em um voo, as chances de uma pandemia global é cada vez mais provável. Tendo isso em vista, é imperativo que o desenvolvimento destes remédios seja acelerado pela FDA e o primeiro passo deve ser liberar os testes da indústria farmacêutica com o TKM-Ebola. Há um precedente para agilizar os testes com remédios para o Ebola em casos de emergência - no ano passado, um pesquisador foi exposto ao vírus e recebeu uma vacina experimental. Por favor assine esta petição para pedir rapidez na elaboração do remédio TKM-Ebola e outros medicamentos e vacinas anti-Ebola que exijam aprovação da FDA. Atualização 8/06/2014 - Eu estou pedindo também que a FDA acelere os testes clínicos para o medicamento Zmapp produzida pela Mapp Biopharmaceuticals. Este remédio experimental foi usado em enfermeiros americanos e deveria ser enviado para testes para saber se pode ou não ser usado para beneficiar o resto do mundo.

Ahmed Tejan-Sie MD
152,171 supporters
This petition won 5 years ago

Petition to Governo do Sudão, Líderes mundiais

Não execute Meriam Yehya Ibrahim por ser cristã #SaveMeriam

Meriam Yehya Ibrahim, uma mãe sudanesa, médica e cristã, foi condenada a chicotadas e à morte a menos que renegue sua fé cristã. Ela estava grávida de oito meses ao ser presa e deu a luz recentemente a uma menina. Sua filha recém-nascida e o seu filho de dois anos estão com ela, a acompanhando na prisão. Por favor, junte-se a este pedido da comunidade internacional para que o governo do Sudão não execute Meriam por ser cristã. Meriam está sendo acusada de adultério porque seu casamento com um homem cristão do Sudão do Sul é considerado nulo pelo regime da sharia, a lei islâmica aplicada no Sudão. A punição é o castigo físico por chicotadas. Ela também é acusada de apostasia, ou abandono de religião, após se converter ao cristianismo - e a pena para isso é a morte. Meriam é filha de uma mulher cristã e um homem muçulmano. Ela foi criada como cristã após seu pai a haver deixado. No entanto, a lei no Sudão obriga que crianças com pais muçulmanos sejam consideradas também muçulmanas. Quando eu li as notícias sobre Meriam, eu não poderia ficar sentada e não fazer nada, por isso eu criei este abaixo-assinado. Pessoas de todo mundo se manifestaram para pedir liberdade para as 200 meninas raptadas na Nigéria, eu espero que o mundo também se levante por Meriam. O fato de uma mulher ser condenada à morte pela religião que escolheu e também ser condenada à chicotadas por se casar com um homem de uma crença supostamente diferente da sua é inaceitável. Assine e mande um recado ao governo do Sudão para que respeite o direito de escolha religiosa e para que liberte Meriam!

Emily Clarke
1,092,272 supporters