Topic

direitos glbt

4 petitions

Started 3 years ago

Petition to SATED , Diretores escritores Dramaturgos, Produtores, Grupos e Coletivos artísticos, Atores e Atrizes Cisgêneros, Cineastas , Associações, Agências de atores

Representatividade Trans Já - Diga NÃO ao TRANS FAKE

Nós atrizes e atores trans (travestis, mulheres e homens trans) organizados, vimos através deste manifesto buscar nossa representatividade, visibilidade e reconhecimento na produção artística na TV, no teatro e no cinema. Somos a população mais estigmatizada e marginalizada da nossa sociedade. O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Nossa segunda causa de morte é o suicídio. A vida média de uma pessoa trans é de apenas 35 anos. Mais de 90% da nossa população está na prostituição, pois o mercado de trabalho não nos aceita. Lutamos pela normalização e humanização de nossos corpos e identidades. Direitos básicos nos são negados diariamente. Durante décadas fomos publicamente censuradas pelo Estado, por operações como “Tarântula” e “Comando de caça aos gays”, que prendiam, torturavam, espancavam e assassinavam travestis, que não podiam simplesmente circular pelas ruas. Presas, eram obrigadas a se mutilar para serem libertadas. Era proibido mencionar a palavra travesti em qualquer meio de comunicação. Em 2001 a atriz e travesti Thelma Lipp foi substituída depois de ensaiar e fazer laboratórios por dois meses com a equipe do filme “Carandiru”, em que foi substituída pelo ator Rodrigo Santoro por “questões de marketing”. Thelma, que foi a resposta paulista a outro fenômeno de beleza, Roberta Close, não agüentou o baque. Acabou voltando às drogas, sofrendo depressão e terminando a vida como Deodoro. Em uma entrevista feita em 2002, Claudia Wonder, também atriz e travesti, conta que ela e Thelma Lipp planejavam realizar um trabalho junto ao Sindicato dos Artistas, para que papéis de pessoas trans fossem preferencialmente oferecidos a artistas trans. Hoje, nós artistas trans resolvemos nos unir. Estamos na moda, na crista da onda. Quer ser moderno no teatro, cinema ou televisão?  Coloque entre os personagens uma pessoa trans. É tão moderno um grupo dar visibilidade ao tema, não? Que autora maravilhosa falando sobre nós, você viu? Que filme contemporâneo com essa historia, hein?  Mas quando vão escolher alguém para representar um personagem trans quem é contratado? Um ator ou atriz cis. Não existe meia representatividade. Ou se tem ou não se tem. Precisamos ser vistas, reconhecidas através de referências concretas. Mas isso não fere a liberdade artística? Nós artistas trans entendemos a liberdade artística de maneira ampla, geral e irrestrita, sem gênero, sem barreiras, sem amarras e sem fronteiras. Mas também entendemos a arte como instrumento libertador, questionador e símbolo de luta e resistência. E para que serve o artista, senão para refletir, questionar e falar do seu tempo. Nós artistas trans gostaríamos de conhecer de perto essa tal liberdade artística. No dia em que não for mais preciso separar ou diferenciar artistas cis de artistas trans. No dia em que formos ao teatro, ao cinema ou mesmo ligarmos a televisão e virmos artistas trans interpretando personagens cis naturalmente. No momento, estamos tentando ter o direito de entrar, de estar, de pertencer e de permanecer. Afinal sempre estivermos nas artes e hoje estamos aqui para dizer que continuamos aqui e existimos. E perguntamos: Como podemos existir sem a inclusão? Sem oportunidades?  Cansamos de servir apenas como experimentos cênicos e acadêmicos. Queremos e precisamos de oportunidades e emprego. Este manifesto visa sensibilizar, conscientizar e humanizar: autores, escritores, dramaturgos, diretores, produtores, cineastas, assistentes, equipes técnicas, produtoras, agências de atores, SATED, publicitários, grupos, associações e coletivos artísticos, atores e atrizes cisgêneros.  Tirem-nos das esquinas. Resistiremos e Lutaremos Juntxs somos mais fortes. Conheçam nosso manifesto na integra em nossa Pagina no Facebook:https://www.facebook.com/RepresentatividadeTrans/?fref=ts Curtam e Compartilhem.  Assinado: Movimento Nacional de Artistas Trans

Renata Carvalho
419 supporters
This petition won 4 years ago

Petition to Ariovaldo Maçaira, Paulo Barddal

Respeite o nome social de Transexuais e Travestis

Recentemente requeri o meu vale-transporte escolar com meu nome social e a Viação Itu informou que meu pedido foi negado. Tentei me amparar no decreto 55.588 de 17 de Março de 2010: "Considerando que o princípio da dignidade da pessoa humana, fundamento do Estado Democrático de Direito, assegura o pleno respeito às pessoas, independentemente de sua identidade de gênero; Considerando que é objetivo da República Federativa do Brasil a constituição de uma sociedade justa e que promova o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade ou quaisquer outras formas de discriminação; Considerando que a igualdade, a liberdade e a autonomia individual são princípios constitucionais que orientam a atuação do Estado e impõem a realização de políticas públicas destinadas à promoção da cidadania e respeito às diferenças humanas, incluídas as diferenças sexuais; Considerando que os direitos da diversidade sexual constituem direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, e que a sua proteção requer ações efetivas do Estado no sentido de assegurar o pleno exercício da cidadania e a integral inclusão social da população LGBT; Considerando que toda pessoa tem direito ao tratamento correspondente ao seu gênero; e Considerando que transexuais e travestis possuem identidade de gênero distinta do sexo biológico (...)" Mais uma vez o pedido foi negado, já que a lei se aplica apenas a instituições de ensino e órgãos do Estado de São Paulo. Meu direito ao nome foi negado, por isso venho através deste abaixo-assinado exigir que a Viação Itu respeite a identidade de gênero de transexuais e travestis. Permitam que nós possamos ter o mínimo de dignidade e respeito. Não posso eu, Erika, andar por toda a cidade com uma cartão escolar que contém minha foto e o nome "João". Se Maria da Graça precisasse do mesmo cartão e requerisse seu nome social "XUXA", teria seu pedido negado? Vivemos em uma sociedade que não respeita transexuais e travestis, então em todos os momentos tentam nos diminuir, ridicularizar e colocar em situações vexatórias. Imagine se meu cartão cai dentro do ônibus e o motorista precisa gritar o nome escrito nele para identificar o dono; imagine se esse mesmo cartão cai na sala de aula e um colega de classe que me conhece pelo meu nome social o encontra; são essas e outras situações que serei obrigada a passar, caso não tenha meu direito ao nome garantido.

Erika Santos Silva
6,210 supporters
This petition won 4 years ago

Petition to Breno Lerner, Claudia Morales, Dicionário Michaelis

Mude a definição de "casamento" no dicionário em respeito aos casais LGBTs

Sou casado há quase três anos com o Maurício. São três anos de amor e parceria e, como qualquer casal, temos os nossos sonhos e projetos. No entanto, o casamento entre pessoas do mesmo sexo tem desafios jurídicos e também simbólicos. Por isso, fiquei muito chocado ao constatar que o dicionário Michaelis ainda define a palavra "casamento" como a "união legítima de homem e mulher". Peço que o dicionário compreenda o momento histórico que vivemos e mude esta definição, em respeito aos milhões de brasileiros que, como eu, constroem seus casamentos homoafetivos. Recentemente, a Suprema Corte dos Estados Unidos autorizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país — decisão semelhante já existe no Brasil desde 2013, por deliberacão do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça. É inaceitável que, até hoje, eu, meu companheiro e muitos outros casais ainda não sejam representados em um dos mais respeitados e influentes dicionários da Língua Portuguesa. Assim, criei este abaixo-assinado e peço que você assine e compartilhe. O dicionário Aurélio, por exemplo, já define “casamento” como “contrato de união ou vínculo entre duas pessoas que institui deveres conjugais.” Simples e respeitoso, não? Espero que o Michaelis tome a mesma decisão. E você?

Eduardo Santarelo
3,226 supporters
This petition won 5 years ago

Petition to Ministério Público Federal, Procuradoria Geral Eleitoral

Abra um processo de cassação da candidatura do Levy Fidelix por homofobia #LevyFidelixNão

Sou, acima de tudo, uma mãe de família. Tenho 3 filhos ainda pequenos. Na noite de domingo, ao acompanhar o debate dos candidatos à Presidência da República, fiquei estarrecida com a declaração homofóbica do Levy Fidélix. Fiquei - e ainda estou - chocada, pois quero que a minha família, formada por mim, a minha companheira Marta e nossos três filhos, tenha o mesmo respeito que qualquer outra família. Por isso, considero fundamental que o Ministério Público Federal abra um processo de cassação da candidatura do Levy Fidélix (PRTB). Ao contrário do que disse o candidato de maneira chula e mal educada e, mais uma vez, violenta, nós podemos sim ter filhos. E muitos. Os casais de mulheres têm, com frequência, três filhos como eu. Muito recentemente, um casal de homens companheiros nossos acabam de ter gêmeos. Além da adoção, as técnicas de reprodução assistida estão a nosso favor. Todas são formas legítimas e juridicamente reconhecidas de filiação. Com muitas outras pessoas, faço parte de um grupo de mães e pais na internet, onde trocamos impressões, apreensões e alegrias sobre os nossos amados filhos. O grupo que participo tem ainda uma especificidade: é um grupo de pais e mães em famílias homoafetivas. Somente neste grupo, somos mais de 400 famílias. Além de discutir o melhor momento para o desmame, discutimos também como proteger nossos filhos da terrível violência homofóbica, exatamente como esta proferida em rede nacional por este candidato inconsequente. Nossa intenção agora é justamente nos organizarmos como Associação Brasileira de Famílias Homoafetivas (ABRAFH) para agir política e juridicamente contra as ameaças às famílias aos nossos filhos de crescer em um mundo estupido e intolerante, violento e criminoso. Queremos proteger as famílias. Todas as famílias. Assim, convido a todos que são a favor das famílias a se juntarem para pressionarmos o Ministério Público Federal. Esta é justamente a função deste órgão e a cassação é possível. A OAB já está nesta luta! Vamos assinar e compartilhar!

Laura Castro
16,266 supporters