Decision Maker Response

Polícia Civil de Minas Gerais’s response

Jun 24, 2020 — A Polícia Civil de Minas Gerais informa que desde que tomou conhecimento, seis dias após o fato, da tentativa de homicídio contra Cibelly não poupa esforços para esclarecer o crime .

Várias diligências foram realizadas para identificar e solicitar imagens de câmeras de segurança existentes ao redor do local dos fatos. Infelizmente nenhuma câmera captou o momento das agressões ou mesmo os agressores. Em uma delas, que se encontra com a perícia policial, é possível ver a multidão que estava presente em um bloco de carnaval e a equipe do SAMU que chegou ao local para prestar socorro a Cibelly.

Diversas pessoas foram chamadas a prestar informações, no entanto, ainda não temos testemunhas do fato e muitos preferem não se envolver e não prestar nenhum tipo de cooperação com a PCMG.

Até o momento, apenas o pai e uma amiga de Cibelly compareceram à delegacia para colaborar com as investigações. O celular da vítima foi requisitado pela PCMG, mas não foi entregue. A junção desses fatores, demora na denúncia, a falta de pessoas que tenham testemunhado os fatos dispostas a colaborar e imagens que não capturaram os fatos, vem dificultando a ação da PCMG para identificar os autores.

No entanto, a Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Racismo, Xenofobia, LGBTfobia e Intolerâncias Correlatas esclarece que este caso continua sendo investigado e solicita a quem tiver qualquer informação que possa auxiliar nos trabalhos investigativos e assim, identificar os autores da tentativa de homicídio contra Cibelly, procure a Polícia Civil ou faça uma denúncia anônima pelo 181.