Não feche o Centro Psiq. Ed. Ribeiro crie um Hospital Modelo em Saúde Mental

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 10.000!


Nós, usuários do serviço de saúde, familiares, comunitários e trabalhadores em saúde mental, viemos através deste abaixo assinado requerer a V. Ex. ª , o não fechamento do Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, bem como a sua reestruturação física e do serviço de atendimento de emergência psiquiátrica, que funciona nesta área pelos seguintes motivos:

O hospital psiquiátrico é o único serviço que atende as emergências psiquiátricas em todo o Estado;

O serviço encontra-se em péssimas condições de funcionamento por motivos que previam seu fechamento, movido por viés ideológico. Entretanto, a PORTARIA Nº 3.588, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2017 inclui o Hospital psiquiátrico especializado na Rede de Atenção Psicossocial, em descompasso com a legislação Estadual, que ainda prevê o fechamento do hospital psiquiátrico especializado e que se mostrou obsoleta.

A história veio mostrar que nenhum CAPS, nem a modalidade três substitui o hospital psiquiátrico, pois, é porta aberta, não possui aparato para contenção e não possui estrutura para reverter paradas cardíacas e possíveis complicações dos medicamentos injetáveis, que só os hospitais tem a prerrogativa de possuir. 

O Brasil tem dimensões continentais e características bastantes heterogêneas, não sendo possível comparar realidades tão distintas do ponto de vista da assistência em saúde mental. Assim, nossos hospitais clínicos não foram pensados para terem alas psiquiátricas em suas estruturas dada a peculiaridade do público portador de transtorno mental, sua agitação, inadequação às normas e agressividade durante surtos. Ademais, para trabalhar com saúde mental é necessário ter perfil, sob pena de conduta negligente ou violenta por parte de quem cuida.

Vale ressaltar que esta demanda não significa retorno do manicômio ou ao modelo hospitalocêntrico, mas que a parcela que necessita de atendimento à crise, seja atendida da melhor maneira possível, na melhor estrutura possível, respeitando o princípio da dignidade da pessoa  humana. Defendemos o modelo de tratamento de continuidade nos aparelhos comunitários, mas desejamos uma assistência de emergência que possa servir de modelo para toda a região norte, tornando-se campo de estudo e formação para profissionais de todas as áreas do conhecimento, possível com a implementação desta solicitação. 

Lembrando que uma luta não exclui a outra. desejamos a ampliação da Rede de Atenção Psicossocial no Estado do Amazonas  e leitos em hospital geral para tratamento de intoxicação de comorbidades clínicas e principalmente desejamos ser enxergados e tratados com dignidade. 

"Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha junto é o começo da realidade." (Miguel de Cervantes)