Abaixo-assinado encerrado

Por que a UNIVERSIDADE FEDERAL expulsou o ALUNO sem dar-lhe qualquer direito a defesa?

Este abaixo-assinado conseguiu 18 apoiadores!


O estatuto do FUNCIONALISMO PÚBLICO não permite que FUNCIONÁRIOS FEDERAIS, estaduais ou municipais aluguem ESPAÇOS PÚBLICOS com ENDEREÇOS FALSOS, para a prática de EXTORSÃO, quando um REITOR, a exemplo de Jóse Carlos Ferraz Hennemann, ou professores e diretores, a exemplo de Arcanjo Pedro Briggmann e Sara Viola alugam salas DENTRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL para a inclusão de máquinas xerox piratas, máquinas que operam com endereço falso e cujo dinheiro dos aluguéIs é embolsado pelos mesmos funcionários públicos, nunca declarando o dinheiro recebido, e colocam o MATERIAL DA SALA DE AULA sob o DOMÍNIO PRIVADO DE UMA MÁQUINA DE XEROX QUE OPERA COM ENDEREÇO FALSO, obrigando ao aluno a pagar 400 reais por mês em cópias xerox, sem disponibilizar ao aluno o acesso ao material de sala de aula, o qual FICA RETIDO PELOS PIRATAS FEDERAIS para a prática de extorsão, o Aluno, neste caso o Wellington Antonio Doninelli Pereira, ao acionar a GUARDA MUNICIPAL para fechar a máquina xerox PIRATA, termina EXPULSO pelo REITOR JOSÉ CARLOS FERRAZ HENNEMANN, o qual tem mais de MIL MÁQUINAS XEROX PIRATAS operando com endereço falso, e não quer QUE O ALUNO SEJA OUVIDO, e tem que EXPULSAR O ALUNO O MAIS RAPIDAMENTE POSSÍVEL e SEM CHANCE de DEFESA, para que o negócio dos PIRATAS continua a ROUBAR O PATRIMÔNIO PÚBLICO.  Tudo documentado e provado, o aluno é expulso, e o CRIME ORGANIZADO FEDERAL, some com toda a documentação e oblitera o trabalho da POLÍCIA FEDERAL, que sequer consegue investigar qualquer coisa, uma VEZ QUE O CRIME IMPERA DENTRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, assim sendo, já que fui expulso sumariamente sem qualquer julgamento, peço que seja OUVIDO oficialmente pela UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL  e que me devolvam minha VAGA DE ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO APROVADO EM VESTIBULAR, a qual foi ROUBADA pelo Reitor José Carlos Ferraz Hennemann, Arcanjo Pedro Briggmann, Sara Viola e outros maus professores que vão até a universidade para abrir máquinas de xerox ou serviços de cópia ou distribuição de materiais de sala de aula com o propósito de praticar a EXTORSÃO.  A cidadã do grupo de Brasileiros sob tortura, o Brazil_TI ( https://www.facebook.com/groups/Brazil.TI/ ), Mara Viana declarou que é facil corrigir a situação e escreveu: "Mara Viana Vai no MPF e faz a denúncia, requerendo a tua vaga, junta uma liminar que em 24 horas o juiz manda o reitor te reintegar no teu curso. Entrega a documentação como prova do conflito.", contudo fui ameaçado até com ARMA DE FOGO pelos funcionários das máquinas xerox, que deveria esquecer o curso e jamais retornar à universidade, que era deles: Já fui, o procurador dos DIREITOS DO CIDADÃO doutor Copetti Leite disse que não poderia fazer nada, porque a AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO É EXPLÍCITA e ele seria CRUCIFICADO e até microchipado ou toruturado com a implantação do VERI CHIP se ele procedesse com a entrada da denúncia na área criminal, uma vez que a o REITOR JOSÉ CARLOS FERRAZ HENNEMANN, ARCANJO PEDRO BRIGGMANN, SARA VIOLA e outros funcionários públicos estão ORGANIZADOS EM UMA GRANDE E PODEROSA QUADRILHA que rouba os aluguéis públicos, fato descrito pelo ADVOGADO DO PROCESSO o DOUTOR ANDRIO PORTUGUEZ FONSECA, que declarou que o JUIZ FEDERAL MARCELO DE NARDI é o CHEFE DE UMA MÁFIA que rouba os aluguéis públicos e OBLITERA O TRABALHO DE INVESTIGAÇÃO DA POLICIA FEDERAL, tudo some, o CRIME ORGANIZADO IMPERA TANTO DENTRO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, que no momento em que o WELLINGTON ANTONIO DONINELLI PEREIRA fechou uma das máquinas, prontamente os FUNCIONÁRIOS FEDEERAIS DA QUADRILHA DO XEROX conseguiam até uma intimação para PRENDER O CIDADÃO WELLINGTON porque ele não tinha os quatrocento reais por mês para pagar a extorsão, foi ai quando a SUSEPE, a superintendência de assuntos penitenciários verificaram a fraude e se negaram a prender o cidadão Wellington que fechou uma das máquinas com o apóio da guarda municipal, e ATÉ HOJE O ALUNO ESPERA PARA VER O PROCESSO, mas tudo sumium, já que as acusações contra o aluno eram todas criminais forjadas sem REGISTRO EM POLÍCIA, o que por si so já é a prova da ação criminosa da QUADRILHA DO REITOR JOSÉ CARLOS FERRAZ HENNEMANN. O Advogado Andrio Portuguez Fonseca declarou que fugiu do processo temendo por sua vida, já que o JUÍZ FEDERAL MARCELO DE NARDI , declarou o advogado, fraudou o processo utilizando TODAS AS TECNICAS DE MÁFIA QUE EXISTEM, para proteger ao esquema de EXTORSÃO XEROX dento da UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, a máquina fechada que era da Sul Cópias foi reaberta com OUTRO NOME assim que o ALUNO FECHOU A MÁQUINA foi expulso com ACUSAÇÕES CRIMINAIS FORJADAS PELOS PRÓPRIOS DONOS DAS MÁQUINAS XEROX, entre eles o Chefão do Crime Organizado o Mafioso Juiz Federal comprovadamente corrupto Marcelo de Nardi.



Hoje: Associação Brasileira das Vítimas de Armas Psicotrônicas está contando com você!

Associação Brasileira das Vítimas de Armas Psicotrônicas precisa do seu apoio na petição «Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Por que a UNIVERSIDADE FEDERAL expulsou o ALUNO sem dar-lhe qualquer direito a defesa?». Junte-se agora a Associação Brasileira das Vítimas de Armas Psicotrônicas e mais 17 apoiadores.