Nota em apoio ao profº Drº Ilzver Matos pela vaga na UFS!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


Nota de solidariedade ao profº Drº Ilzver Matos! Nem um direito a menos!

O Fórum de Entidades Negras de Sergipe vem através dessa nota mostrar solidariedade ao professor Drº Ilzver Matos, candidato aprovado em segundo lugar no concurso para professor em direito e em primeiro lugar na quota racial em Concurso de Docente do curso de Direito que foi preterido em vaga na Universidade Federal de Sergipe – UFS.

Cabe salientar que Ilzver de Matos é Doutor em Direito, negro, com competência reconhecida na pesquisa sobre religiões de matriz-africana, enquanto o outro professor é mestre, presidente da União de Juristas Evangélicos, ex pro reitor de extensão na epóca da intervenção.

Apesar da procuradoria da UFS dar o parecer favorável a Ilzver, no sentido de prover a vaga pelo concurso, ou seja, chamar o segundo colocado e o primeiro colocado no concurso público pela quota racial, o colegiado votou contrário à decisão da procuradoria, atendendo ao pedido do outro professor, de contábeis, que solicitou abertura de edital de remoção, diante do interesse na vaga, tendo, assim, sua solicitação atendida pelo Colegiado do Departamento, com 11 votos contrários ao da relatora, a professora Jussara Jacintho, que votou para Ilzver assumir a vaga, no que foi seguida apenas por outros 4 votos do Conselho.

A situação é grave e mostra o perigo dos tempos em que vivemos, onde os nossos direitos têm sofrido ataques diariamente. O racismo institucional se faz presente nas instituições de ensino superior. Precisamos estar atentos/as/es para não perder as nossas conquistas. A política de cotas de ingresso nas universidades públicas e também em concursos públicos é fruto da luta diária da população preta, conquistada com muitas batalhas protagonizada pelo movimentos negros. O Fórum de Organizações Negras de Sergipe repudia a atitude racista do colegiado DO DEPARTAMENTO DE DIREITO e se soma ao professor Dr. Ilzver na luta contra o racismo institucional. Não vamos nos silenciar diante de mais um ataque, é fundamental que essa decisão seja revista e não se abra precedente para que mais uma injustiça seja cometida contra a população negra, porque hoje é o professor Ilzver, amanhã poderão ser vários de nós.