Desconto nas mensalidades durante período de suspensão das aulas.

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


Países do mundo inteiro estão enfrentando as consequências da pandemia do novo corona vírus. O uso obrigatórios de mascara, isolamento social, quarentena e toque de recolher se tornaram medidas comuns na tentativa de diminuir a propagação da doença.

No Brasil, também já podemos sentir os efeitos da epidemia que avança por todos os estados, levando as pessoas a ficar recolhidas em suas casas e as empresas a suspender suas atividades.

A Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, Campus Caçador SC, em atendimento às medidas de saúde decretadas pelo Governo do Estado de Santa Catarina, suspendeu as aulas presenciais no dia 17 de março de 2020 e deverão permanecer assim pelo menos até achatar a curva da transmissão.

Apesar disso, as mensalidades que estão sendo geradas para os alunos apresentam valores integrais, o que é desarrazoado para o atual momento de calamidade pública.

Entendemos que mesmo durante a paralisação, a UNIARP possui custos fixos para manter sua estrutura, todavia, há outros que sofreram evidente redução, como: gastos com energia elétrica e água,  despesas com colaboradores terceirizados, depreciação das instalações e equipamentos, dentre outros. Além disso, a administração pública, seja em âmbito Federal ou Estadual, está adotando medidas compensatórias para socorrer as empresas, o que inclui as instituições de ensino.

Em contrapartida, muitos dos alunos tiveram sua renda sensivelmente reduzida ou mesmo perderam seus empregos em decorrência da crise instalada.

Nada mais lógico, então, que a UNIARP adote uma postura coerente com a situação apresentada acima e reveja os valores das mensalidades de seus alunos.

Assim, os abaixo assinados requerem que os valores das mensalidades da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe UNIARP, Campus Caçador com vencimento a partir do mês de junho de 2020 até o período em que durar a suspensão das aulas presenciais, SEJA REDUZIDO EM  50% (CINQUENTA POR CENTO), considerando-se o valor final a ser pago, ou seja,  independente da existência de bolsa ou outros descontos.