Garanta a dois idosos o direito a sua propriedade e puna exemplarmente os culpados!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 1.500!


“O sentido de nossa vida está no futuro que nos espera; não saberemos quem somos, se ignorarmos quem seremos: aquele velho, aquela velha, reconheçamos-nos neles.” (Fragmentos - Obra “A Velhice” – Simone Beauvoir -  pg.12)

É missão de cada um de nós proteger todos os seres em situação de vulnerabilidade, buscando preservar os valores essenciais para criação de um futuro mais digno, que desperte no homem a consciência do seu papel na construção de um mundo melhor para todos.

Assim, pedimos ajuda para que os Órgãos Jurisdicionais e fiscalizadores da Lei (Tribunais de Justiça e Ministério Público de Natal e de Brasília-DF),  garantam o direito de propriedade de dois idosos, inclusive com cardiopatia grave, que foram enganados e estão perdendo seu imóvel, diante de uma falsidade ideológica que pode progredir para crime de estelionato.

 O casal de idosos receberam proposta para trocar um imóvel que tinham em Natal por outro em Brasília. Apesar de terem entregado toda documentação do seu imóvel em Natal, os outros permutantes não entregam a documentação do imóvel em Brasília e fizeram ainda pior:  pela falta de zelo de um juiz de Brasília-DF, retiraram do processo que tratava do caso a procuração dos idosos com plenos poderes sob o imóvel de Natal, foram até aquela cidade e transferiram para o próprio nome o imóvel dos idosos, declarando falsamente em documento público que tinham comprado o imóvel a dinheiro, pago aos  idosos e que estes não tinham mais nada a reclamar.

 Porém como nunca pagaram nada aos idosos, já que o negócio firmado era de permuta de imóveis e também não entregaram a documentação do imóvel de Brasília-DF, acabam ficando com tudo, deixando os idosos sem  nada.

O caso está sob investigação do Ministério Público,  desde 2017 que já reconheceu a falsidade de declarações presentes na escritura feita em Natal. Mas a questão se arrasta a passos de tartaruga.

Enquanto isso, os idosos não tem renda, não tem propriedade e vivem a angústia de terem sido enganados e desamparados pelo próprio Estado que tinha o dever de protegê-los contra este tipo de prática enganosa.

Este tipo de descaso só favorece pessoas de má índole, como o casal que aplicou tão vil golpe nos idosos e que fazem questão de ostentar inclusive em redes sociais, fotos usufruindo do imóvel a beira mar. Um absurdo!

Se nada for feito, o casal que aplicou tão vil golpe nos idosos, ficará impune o que encoraja a prática deste tipo de violência contra os idosos, uma vez que é cada dia mais crescente o número de enganações, falsidades e estelionatos praticados contra pessoas idosas, diante não apenas da sua vulnerabilidade, mas da falta de proteção e de medidas mais eficazes contra este tipo de gente.

 Assim, agirmos contra toda e qualquer violação do direito da pessoa idosa é uma forma de garantirmos  um presente com mais dignidade para eles e um futuro mais esperançoso para nós,  já que todos nós envelheceremos um dia.

 Por isso exigir um tratamento  digno na preservação do direito dos idosos, é uma medida  urgente e necessária, de modo que o presente abaixo assinado clama por um tratamento mais humano e responsável por parte do Estado em relação a esse público-alvo  prioritário principalmente no que ser refere ao direito de propriedade.



Hoje: Instituto Seres do Bem está contando com você!

Instituto Seres do Bem precisa do seu apoio na petição «TJDFT: Garanta a dois idosos o direito a sua propriedade e puna exemplarmente os culpados!». Junte-se agora a Instituto Seres do Bem e mais 1.031 apoiadores.