Manifesto em Apoio à Governadora Fátima

Manifesto em Apoio à Governadora Fátima

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!
Com 5.000 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!

Mulheres com Fátima criou este abaixo-assinado para pressionar SOCIEDADE EM GERAL

Nós, cidadãs do Rio Grande do Norte, neste 08 de março, em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, manifestamos toda nossa indignação diante dos ataques que sofrem as mulheres do nosso estado, notadamente a governadora Fátima Bezerra, vítima do machismo e do comportamento misógino que se reproduz aqui, assim como em todo o país.

Em um Brasil que segue acéfalo frente a mais grave crise sanitária que já atravessamos, sem comando central e com um presidente que se comporta como aliado do coronavírus, a Governadora Fátima Bezerra desponta como grande liderança no enfrentamento da pandemia ao pautar temas fundamentais como a oferta de vacinas para toda a população, inclusive com a antecipação da vacina para os profissionais da educação, pela própria necessidade de retomada do ensino público, preocupada com aqueles que dele precisam.

Nada disso nos espanta, pois sua trajetória é marcada pela luta por justiça social e por direitos para o povo. Mas isso tem incomodado muito os setores conservadores que não se conformam em ter uma mulher de origem popular à frente do executivo estadual, como a única governadora hoje em nosso país.

A liderança que a governadora Fátima exerce não só no estado, mas no país vem potencializando ataques de caráter reacionário e misógino que ferem a todas nós mulheres que somos igualmente agredidas quando a governadora do nosso estado é insultada em sua condição de mulher.

A violência contra uma mulher nos afeta a todas em nossa condição feminina. Para cada palavra ou referência misógina e depreciativa a uma mulher, independentemente da posição social que ela ocupe, todas as mulheres recebem igualmente seu quinhão de dor e lágrima.

Negam a nós mulheres a autonomia do nosso próprio corpo, promovem a cultura do estupro, nos atacam se estamos em posição de destaque, e tudo isso por não suportar nos ver tendo voz e vez nos espaços de poder.

Assim, urge deixarmos aqui nosso protesto veemente diante das agressões e insultos dirigidos à governadora Fátima Bezerra que diuturnamente vem sendo alvo de ataques que certamente jamais seriam direcionados em teor tão ofensivo caso se tratasse de um governador homem.

Porém, junto ao nosso protesto vem um aviso: vocês não irão nos calar! Nossas cabeças se manterão erguidas e nossos corpos estarão ombreando, lado a lado, a luta da governadora Fátima Bezerra em defesa da vida, da democracia e da justiça social. Seguiremos a marcha caminhando e cantando e seguindo a canção.

Estamos solidárias a todas as mulheres que estão na linha de frente do enfrentamento à pandemia ou sofrendo as suas consequências, pois somos nós mulheres os alvos preferenciais da exclusão, do preconceito e da violência. São as mulheres as maiores vítimas da catástrofe sanitária que o governo central agrava ao desprezar a vida, ao militar contra o isolamento social, contra a vacina e contra a proteção social aos mais vulneráveis.

E de modo especial estamos solidárias à governadora Fátima Bezerra que vem enfrentando com dignidade e maestria não só a pandemia, mas os ataques de ódio e a violência que vem sofrendo por parte de pessoas que não suportam ver mulheres em espaços decisórios. Nesse 8 de março nossa luta é pela renda emergencial, por vacina para todos e pelo fim da violência contra as mulheres.

Mexeu com uma, mexeu com todas!

0 pessoa já assinou. Ajude a chegar a 5.000!
Com 5.000 assinaturas, é mais provável que esta petição apareça na mídia!